Caetano Veloso: A Chegada na Idade da Ethernidade

 

 

 

 

 

 

Alegria! Alegria!

Poeta AfroAmerÍndio
o gozo de  ethernidade  do canto de dona-deusa-Canô
pariu, cus­piu, expe­liu um deus, um bicho, um homem?!

 

70 anos  de  Ethernidade
requebrando cintura
Dityrambando samba Purificado em Santo Amaro
ouvido capturando pelo ráDIO
auditório da raDIO Nacional Divas Cantoras & Macacas
assitindo-se  no KInema interior
amigo  de uns e outros Vitellonis
lendo Leonino  seu destino de ser  a homeostase de múltiplas células vivas
notas musicais tesudas cantantes do Corpo Sem Orgãos
muitos Caetanos em muitos Caetanos
muitos Outros não Caetanos,
no seu Caetano
amigo de ouro, Horácio até do Ham-Let-Rei da Vela –do Teat(r)o Oficina

Eu que odeio sala de visitas
amei as poucas vezes q frequentei
a de Caetano,
segue madrugada a dentro
o maior Salon de papos não furados do fim do século XX
e início do XXI no Brasil

Surgem  sinais sagrados inequívocos
Epifânicos
4 Corifeus, com amor no coração,
invadindo cheios de felicidade, a cidade amada

“Doces Bárbaros”

 iÁ! Quarteto Divino!
Caetano, Gil, Betânia, Gal,
4 vezes cada um deles,
uns são os outros, outros são cada um.

Todos Caetanos, Todos Gils, Todos Bethânias, Todos Gal

4.000 Vozes em Corpos Báquicos Dançantes
semi cobertos  com o Luxo Suntuoso AfroAmerÍndio
de  Paramentos, criados pelo Grande Artista Santeiro: Flavio Império
Oficiando esta Macumba Multicolorida  de Brilhos
Cetins, Colares e Cores para os Sacerd’Ócios

E estes todos passaram a ser nós todos
vivos, mortos, éthernos
ressucitados
em pleno bode da  ditadura colonialista militar do feitor Geisel

Tristeza por favor vá se embora cantado no Rio nos 4 dias sem cessar do 1º Carnaval depois do Golpe Militar de 64

Foi-se …

e  Alegria voltou a reinar, virou Gaia Science

Eu estava exilado ,
ouvi
meu mundo orecular desestabilizou-se
e entendeu que o INDIO tinha mesmo re-aparecído
era o próprio parido : um deus, um bicho, um homem?!

Até o  tristonho Milton Nascimento teve sua faca afiada por Betânia  estilhaçando-o em estrêlas

Herivelto, o deus dos acordes discordes foi reencantado bem cantado, muito bem demais cantado, por cada ponta do quarteto de ponta.

Eu nunca tinha  ouvido tantas vozes cantando a própria voz das emoções mais totais, de todos as tomadas do Corpo Elétrico

João Mico Azulay filmou
e depois remasterizou em 5 Ponto um
Ethernizou

Aí só que eu vi, revi, reouvi
todos os cantos vindos
de  todos os cantos do Kinema Digital

Quando voltei do exílio não conseguia me comunicar com a juventude dos anos 80. Aí encontrei  Marcelo Drummond que nunca tinha ouvido sequer falar em mim, mas nossa comunicacão foi imediata porque ele era fã de Caetano e ele trouxe sua geração formada na Universidade Caetano Veloso,e assim montamos “Ham-Let”, nasceu o Oficina Uzyna Uzona, aliás nome dado pela  Sacerdociósa Regina Casé que pedia mais que uma Oficina, uma Uzyna!

João Gilberto deus cantor homestaseou todo Panteismo Polifônico Brasileiro numa nota só, batida quebrada,
e o Leãozinho soltou  seu Canto Órphico
atraía deuses, demônios, animais

Então Veloso Orfeu, foi estraçalhado pelas BACANTES
filmado e fotografado

As fotos viraram quadros de Pintura Órfica
e o Video uma cena de Orfeu Montgomery Clift Veloso

Foi restabelecido o elo perdido
e até  hoje 26 anos depois
continua a corrente ininterrupta,

Agora meninos e meninas
renascidos  no Oficina Uzyna Uzona
na Universidade Antropófaga
na  Voz da  Coriféia Camila Mota
chamam-se  “Novos Doces Bárbaros Tecnizados”
e vão cozinhando na Vereda Tropical Dengosa
a Copa de Cultura de 2014
no Teatro de Estádio Oswald de Andrade

Alegria! Alegria !

Primo Canto deste deus Antropófago

Ah! Dona deusa Canô:

Pariu, cus­piu, expe­liu um deus, um bicho, um homem!

Salve o 7 mais o 0.

Delicias da Mocidade da Velhice: Novidade Criadora,
aproveite bem
a  Ethernidade chegou.

Anúncios
3 comentários
  1. juliana disse:

    demais zé
    beleza de declaração de amor ao caetano
    lindo
    salve o 7 mais o 0!

    só não acho o milton nascimento tristonho

    é interessante perceber daqui de dentro
    como foi projetado para o brasil esse imaginário que se criou em torno de minas

    denso, interior, místico
    pedra: sem banana, sem desbunde

    mas milton é também antropófago
    quilombola e cosmopolita
    clementina e wayne shorter
    ancestral e ponta de lança

    minas é banto
    brucutu
    sertão vereda tropical

    beijos minérios!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: