arquivo

Arquivo mensal: abril 2014

walmor y cacilda 64 - robogolpe teatro oficina uzyna uzona

Estréia dia no 40º Aniversário da Revolução dos Cravos  como sempre mais a perígo q nunca e mais q nunca sintonizados com as Armadilhas e Golpes da Vida TragiKômicaOrgiástica

O Teat(r)o Oficina e seu Entorno Tombado sob uma Ação Jurídia de “Reintegração de Posse” do seu Entorno Tombado requerida pela “RBV-Residêncial BelaVista -Empreeendimentos Imobiliários Ltda. do Grupo Silvio Santos” estréia dia 25 de Abril a Peça Musical Dirigida/ Escrita por Zé Celso / ReesCrita Cênicamente pelos Tecno Artistas Atuadores da “Cia .Oficina Uzyna Uzona”

sobre os 50 anos de Ditadura Civil Militarno Brasíl :”Walmor y Cacilda” 64-2014 : O ROBOGÓLPE”

Talvez agora fique mais claro o sentido do “r” entre aspas quando escrevemos Teat(r)o.

A Arquitetura Urbana Cênica da peça que estréia está sob uma “Ação de Reintegração de Posse”-esta ação que vemos todos os dias nos jornais de que são vítimas os Indígenas e seus Territorios Sagrados /os Sem Teto/os Sem Terra-cai agora sobre o mais longivo Território Sagrada da Cultura Teat(r)al da Cidade de SamPã.Aliás a Especulacão Imobiliária hoje em SamPã atenta contra absolutamente todas Cias de Teatro Independente da Cidade .

 Como Artista agradeço a coincidência da entrada em Cena desta Protagonista desde o Golpe de 64: a “Reintegração de Posse” no Musical que Canta o Bóde dos “50 Anos de Ditadura Cívico Militar no Brasíl“.Hamlet-Shakespeare clama : “O Teatro é a crônica imediata dos acontecimentos da Época’.” Resumindo o nome da peça “O ROBOGÓLPE” é uma crônica sincrônica á um acontecimento concreto que entra na Intriga.É inacredítavel pra nós mesmos .Esta peça escrita em 1990 nos nosso Corpos de Hoje –atuadores foi soando cada vez mais aquí agora.Não acredito em outro Golpe Cívico Militar porque este ja esta sendo dado mundialmente . Basta ver na Net as Imagens da “Feira Internacional de Armas no Rio de Janeiro destinada ás Controlar as Manifestações Mundiais Há diferentes magníficos figurinos de ROBOCOPS alias uma das Personagens Protagonistas de “Walmor y Cacilda 64 O RoboGólpe”

A testa da fachada do  Oficina Terreiro Elektrônico com a “Bigorna de São Jorge Ogum “assim comoa “Rua Lina Bardi” ladeada pelas Estruturas de Ferro do Santo Guerreiro Protagonizam as forças invocadas da “Felicidade Guerreira” para a PAZ:

“Não tenho nojo de tudo que é humano mais

Crueldade y Violência/ fiquem pra tráz

Paz Amor y Paz

Paz Amor y Paz

Paz Amor y Paz

y Muito Mais

te agradeço Dionisio”

 O Braço Militar do $istema Finaceiro Dominante Mundial no Brasil apoderou-se de São Jorge Guerreiro como Santo em Guerra contra a Manifestção dos Corpos Humanos nas Multidões que em todo mundo clamam por contacto direto com os Podre$ Podere$ .Na peça são as Xamas da Paixão das Linguas dos Corpos do CORO DE DRAGÕES Y DRAGOAS que assumem o Poder do Teat(r)o pra Desrobotizar o São Jorge RoboGÓLPE-ou ROBOCÓPA.( Farda de Proteção e Ataque de RoboCop para a PM /exibida num Museu do Rio dirante o ultimo Carnaval agora na Feira De Armas nos mais diversos Modelos)

Em 1964 o Teatro Cacilda Becker na Federação Paulista de Futebol fazia a peça “Noites de Iguana” de Tenesse Williams.Há um bichinho, uma Iguaninha presa debaixo do palco onde atuam:

 

MARCELO WALMOR SHANNON

( pra CACILDA CAMILA ANA)

Você quer soltar esse réptil?

Só porque ele é uma criatura do deus…

(pausa)

Então vamos começar a brincar de deus

como crianças brincam de casinha…

Está certo?

E agora o Xamã 

vai soltar o raio da largatixa

porque deus não solta

e nós estamos brincando de deus.

A Libertação de um bichinho tinha tudo a ver pra

exprimir a crueldade e a violência do regime ditatorial que Caçava Humanos “Subversívos y Comunistas “

No Oficina encenávamos “Pequenos Burgueses” que foi tirado de cena dia 1º de Abril.Toda classe teatral foi intimada á comparecer diante do Mr.DOPS   para apurarem a Subversão no Teatro Paulista.E comparecemos.

Esta cena é recriada na nova peça encenada no Teat(r)o Oficina e seu Entorno que recebe Sol/Lua e a Cidade pelo Janelão do Vidro MASPeano, ondas quânticas dos Mithos pela Árvore Sagrada do Terreiro Eletrônico: a Cezalpina plantada pela própria Lina Bardi como em sua 1ª Obra : A“Casa de Vidro”

Não só o Espaço mas a propria Peça esta ameaçada pela “Reintegração de Posse”

A Obra de Arte no Centenário de seu “arquiteto” Lina Bardi vibra no sub texto do Elenco e do Publico Canta esta situação que hoje é a do Planeta Terra.Inevitavelmete é um Musical de TeAto tambem com doses de Theatro neste Teat(r)o que é o Oficina y seu Entorno Tombado .

Nossa Temporada termina quando a Copa que já é Sub Texto de todos nós antes das próximos às eleições.

No momento em que a Prefeitura propõe um Novo Plano Urbano pra Cidade em que a Troca de Terrenos estava próxima a ser conseguida entra em Cena a Especulação Financeira sempre impaciente:Time is Money.Esta Madame pretende agora romper o Acordo “Silvio Santos-Oficina” conquistado em 33 históricos anos .Mas já vencemos tantos obstáculos: Incêndio/Censura/Ataques do CCC/Tortura/Exilio/falta de Dinheiro como acontece ainda hoje nesta produção feita na $eca Total sairemos desta como sempre pelo Poder do Teat(r)

As Multidões do Publico nos darão e receberão Energías desejadas por Todos pra esta invenção de uma RE-Existência diante das Ultima Geracão das Armas pra essa nova Guerra Mundial contra as Manifestações dos poderes humanos.

Nossa Temporada termina quando a Copa que já é Sub Texto de todos nós se iniciará antes das próximos às eleições.

Ah! Atendendo a pedidos :essa peça é um musical bem curtinho

Zé77

O Poema musical “Walmor y Cacilda 64 – RoboGólpe” é dirigido por Zé Celso e tem no elenco

Catherine Hirsch – Conselheira Poética

Marcelo Drummonfd – Walmor Chagas e Getulio Vatgas / Sylvia Prado y Camila Mota – Cacilda Becker / Fred Steffen – ROBOCOP/ Juliane Elting – Maria della Costa / Glauber Amaral  – Jango Goulart e Mariguela / Roderick Himeros – Darcy Ribeiro

Liz Reis – Itala Nandi / Zé Celso – Nono / Vera Valdez – Putana / Acauã Sol – Delegado Bonchristiano

Nash Layla – Anabela, Iguana / Danielle Rosa – Égua de são Jorge Ogum, Dona Cesarina Leonor, Maria Alice Vergueiro, Maxine / Giuliano Ferrari – Ademar de Barros / Letícia Coura – Cleyde Yáconis

Tony Reis – Cabo Anselmo / Carolina Henriques – Mensageira Lolita / Lucas Andrade – Muchacho / Marcelo Finimundi – Giovanni / Alessandro Leivas – Muchacho / Selma Paiva – Repórter

Video – Igor Marotti y Ivan Vinagre / Direção de Cena – Otto Barros / Técnico de som – Leandro Costa / Microfonista – Carolina Defino

direção musical de Montorfano y Giuliano Ferrari y Adriano Salhab

Adriano Salhab (guitarra) / Carina Iglecias (percussão) / Chicão (piano), Giuliano Ferrari (direção musical, piano) / Juliana Perdigão (saxofone, clarinete, clarone e flauta) / Letícia Coura (cavaquinho) / DJ Jean Carlos (sonoplastia)

Arquitetura Urbanística cênica  de Marilia Oliveira Cavalheiro Gallmeistee y Carila Matzenbacher -Luz-Renato Banti y Victor Fonsêca  /

A estreia acontece excepcionalmente numa sexta-feira (dia 25/04, às 21h30), mas a temporada segue a partir do dia 26/04, sempre aos sábados (21h) e domingos (19h), até o dia 1º. de junho.

Todas as sessões serão transmitidas ao vivo pela TV Uzona, no site www.teatroficina.com.br .

Anúncios