DIA D DE UM NOVO ENTENDIMENTO ENTRE O GRUPO SILVIO SANTOS E O TEAT(R)O OFICINA

Projeto elaborado durante a X Bienal de Arquitetura que expande o pomar jardim para todo o bairro do Bixiga

Projeto elaborado durante a X Bienal de Arquitetura que expande o pomar jardim para todo o bairro do Bixiga

DIA 10 DE NOVEMBRO, 2ª FEIRA, DIA D DE UM NOVO ENTENDIMENTO ENTRE O GRUPO SILVIO SANTOS E O TEAT(R)O OFICINA; DESEJAMOS TODOS TORCENDO PARA ESTE ACONTECIMENTO

Convidamos o público a estar presente nos dois últimos dias da Temporada de “Cacilda !!!!! A Rainha Decapitada”, no sábado; e no domingo, com “Walmor y Cacilda 64 – RoboGolpe”.

Entramos em ensaios a partir de 3ª feira, dia 11 de novembro, para voltarmos dia 12 de dezembro com o Festival das Cacildas y Walmor.

Este fim de semana antecede uma Situação Delicada, para o Presente Futuro do Teat(r)o Oficina.

Dia 10/11, 2ª feira próxima, a Produtora do Teat(r)o Oficina, Ana Rúbia Melo, chegou a combinar com Eduardo Velucci, Diretor da Sisan Empreendimentos Imobiliários Ltda. (setor Imobiliário do “Grupo Silvio Santos”) a Retirada da ESCADA q construímos como acesso ao PÚBLICO (assim como uma TENDA que é atualmente nosso FOYER, para o conforto dos quem vêm nos assistir e para nós mesmos: onde está o “Nick Bar” instalado: um Bar Restaurante).

Eduardo Velucci hoje nos passa um e-mail cobrando o combinado e pede a demolição da ESCADA e a retirada da TENDA para dia 10/1: 2ª feira.

Estamos no dia D.

É o momento de tomar outra Decisão, uma vez que a Situação mudou de lá para cá, pois torna-se legalmente possível, agora, depois das Eleições, a negociação entre o Terreno do Grupo Silvio Santos no Entorno do Teat(r)o Oficina Tombado pelo IPHAN
E o “SITIO DO BURACÃO”, hoje transformado pelo Plano Diretor Estratégico para a Cidade de São Paulo em “Polo  Estratégico de Desenvolvimento Econômico.”  1*

Mapa do Plano Diretor identificando o “SÍTIO DO BURACÃO” como Polo Estratégico de Desenvolvimento Econômico.

Mapa do Plano Diretor identificando o “SÍTIO DO BURACÃO” como Polo Estratégico de Desenvolvimento Econômico.

Portanto, com o novo Plano, caíram os impedimentos maiores para esta negociação.

O “Grupo Silvio Santos” já se situa nesta belíssima região da Anhanguera. Tem lá sua atual Sede. É Vitorioso Precursor desta ascensão da Vida Econômica nesta região, para nossa Cidade.

E é mais que natural, portanto, que Silvio Santos integre em seu Patrimônio o “SÍTIO DO BURACÃO”, através da Proposta da Ministra Marta Suplicy – Ministra da Cultura de Negociação dos Terrenos, antes de sua ida ao Senado em 2015.

Por outro lado, a Área Envoltória gerada pelo Tombamento do Teat(r)o Oficina pelo IPHAN, de Propriedade do Grupo Silvio Santos, foi colocada pelo PLANO DIRETOR em vigor dentro do TERRITÓORIO CULTURAL PAULISTA LUZ; portanto, será difícil ao Grupo construir neste Terreno obras que visem sua Exploração Comercial. 2**

Ana Lucia dos Anjos, Superintendente do Patrimônio da União de São Paulo, busca conciliar as Agendas do Grupo Silvio Santos, do Ministério da Cultura, do Teat(r)o Oficina, para um Encontro que, de imediato, inicie as negociação entre as três partes envolvidas.

Vamos ser generosos com a História desta magnífica ODISSEIA  vivida entre o  Grupo Silvio Santos  e o Teat(r)o Oficina, por 34 anos!

Há 10 anos Silvio Santos visitava o Teat(r)o Oficina para um Encontro q historicamente iniciou o diálogo entre as duas Partes em Conflito. Silvio deslumbrou-se com a Obra de Arte Arquitetônica Urbanística dos “Arquitetos” LINA BARDI e EDSON ELITO, e com a recepção de TeAto Musical q o Elenco do Oficina Uzyna Uzona lhe ofereceu.

Dia 5 de dezembro de 2014 Lina Bardi faria 100 anos. Muitos países no Mundo comemoram seu Centenário.

Nós mesmos iremos realizar no dia 5 de dezembro um Grande Evento no Teat(r)o Oficina e seu Entorno, transmitido ao vivo pela WEB para o Museu de Arquitetura de Munique, q realiza a Maior Retrospectiva do trabalho de Lina Bardi feita fora do Brasil: suas Obras Completas.

Não vamos concluir esta intensa vivência histórica q – pelo menos a mim e a todos do Teat(r)o Oficina – ensinou tanto, com um episódio melancólico como poderá vir a ser: a  RETIRADA DA  ESCADA e da TENDA FOYER.

Esta hipótese poderá vir a ser um enfadonho Re-Início do  Evitável Conflito entre nós neste momento, tão propício a uma solução de Entendimento, enriquecedor para ambas as partes e para a Cidade de São Paulo.

Esta Retirada da ESCADA, da TENDA, e de nosso ACESSO ao nosso Entorno Tombado, inviabilizaria nossa programação pra o fim de dezembro: um “FESTIVAL DE COMCP PEÇAS de Cacildas!!!3/ !!!! 4/ !!!!!5 e Walmor y Cacilda 64 / 68.

Estas serão apresentadas duas vezes nos dias de semana e nos sábados e domingos até 23 de dezembro.

Inviabiliza nosso ano de 2015 – em q entraremos com “A TEMPESTADE” d Wiiliam Shakespare,

Enviamos uma hoje, dia 7 de novembro, uma carta com estes dados para o Presidente do Grupo Silvio Santos, Guilherme Stolliar, com o Objetivo de um vitorioso Final Feliz, para a saída desta peça em cartaz por tanto tempo na nossa Cidade: “Grupo Silvios Santos X Teat(r)o Oficina”

Hoje projetamos dar continuidade às alas do Cheiroso Pomar Jardim que o Grupo Silvio Santos deixou em seu Terreno, expandindo-o em novas ruas de todo Bixiga e ligando o Corredor Cultural do Bairro . 3***

EM 2010 SILVIO SANTOS me disse: Agora q o Entorno do Oficina foi tombado pelo IPHAN não vamos poder mais construir em  nosso Terreno. Não queremos mais empatar vocês; nem q o Teat(r)o Oficina nos empate. Vamos trocar os terrenos.

Esta Carta agora é endereçada aos que amam a Cultura no Brasil e no Mundo, assim como ao apoio nacional e internacional, e à atuação criativa da pessoa de Silvio  Santos e de seu Grupo.

Criaremos um exemplo de entendimento inédito entre partes em conflito, para todo o Mundo sempre em Guerras, criando o Equilíbrio do Amor no Universo.

Zé Celso
Presidente da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona
Diretor, Ator, Autor, Palhaço, Cantor, Amante da Paz, do Amor y Muito Mais

1* Polos Estratégicos de Desenvolvimento Econômico

Art. 177. Os polos estratégicos de desenvolvimento econômico
são setores demarcados na Macroárea de Estruturação
Metropolitana e situados em regiões de baixo nível de emprego
e grande concentração populacional, que apresentam potencial
para a implantação de atividades econômicas, requerendo estímulos
e ações planejadas do Poder Público.
§ 1º Ficam estabelecidos os seguintes polos estratégicos de
desenvolvimento econômico:
I – Polo Leste, correspondente aos subsetores Arco Leste e
Arco Jacu-Pêssego;
II – Polo Sul, correspondente aos subsetores Cupecê e Arco
Jurubatuba;
III – Polo Noroeste, correspondente ao subsetor Raimundo
Pereira de Magalhães/Anhanguera;
IV – Polo Norte, correspondente ao subsetor Sezefredo
Fagundes até a Marginal Tietê;
V – Polo Fernão Dias, correspondente ao subsetor Fernão
Dias.

§ 2º Os polos estratégicos de desenvolvimento econômico
deverão, sempre que houver interesse dos municípios limítrofes,
ser desenvolvidos de forma articulada regionalmente, especialmente
com a Região Metropolitana de São Paulo.
Art. 178. Para planejar a implantação dos polos de desenvolvimento
econômico e estimular a atração de empresas, o
Município deve formular planos específicos para cada polo, que
devem conter, no mínimo:
I – a delimitação de cada polo;
II – a vocação econômica do polo, considerando-se sua
localização e características socioeconômicas e de formação da
população moradora na região;
III – as atividades econômicas que devem ser estimuladas;
IV – as intervenções necessárias, em especial de logística,
mobilidade e infraestrutura, para viabilizar a implantação das
atividades econômicas prioritárias;
V – as estratégias para financiar as intervenções a serem
realizadas, incluindo parcerias público-privadas possíveis de ser
utilizadas para implementar o polo;
VI – prazos de implementação e recursos necessários.
Parágrafo único. O plano deverá definir atividades que,
preferencialmente, tenham grande potencial de geração de empregos,
de nível compatível com o perfil socioeconômico e com
a formação da população moradora na região.
Art. 179. Para estimular a implantação de empresas, o
plano previsto no artigo anterior deve estabelecer as atividades
prioritárias que poderão se beneficiar do Programa de
Incentivos Fiscais, a ser instituído por lei específica, incluindo os
seguintes benefícios:
I – isenção ou desconto do Imposto Predial Territorial Urbano
– IPTU;
II – desconto de até 60% do Imposto sobre Serviços de
Qualquer Natureza – ISS para os setores a serem incentivados;
III – isenção ou desconto de Imposto sobre a Transmissão
de Bens Imóveis Inter Vivos – ITBI-IV para aquisição de imóveis
para instalação das empresas na região;
IV – isenção ou desconto de ISS da construção civil para
construção ou reforma de imóvel.
Parágrafo único. Os empreendimentos não residenciais
implantados nos setores previstos nos arts. 362 e 363, delimitados
no Mapa 2A, ficam dispensados do pagamento da outorga
onerosa.

2** Operação Urbana Centro
Lei 12.349 de 6 de junho de 1997
Estabelece programa de melhorias para a área central da cidade, cria incentivos e formas para sua implantação, e dá outras providências.

Capítulo I
Conceituação, Objetivos E Diretrizes

Artigo 1º – Fica aprovada a Operação Urbana Centro, compreendendo um conjunto integrado de intervenções coordenadas pela Prefeitura, através da Empresa Municipal de Urbanização – EMURB, com a participação dos proprietários, moradores, usuários permanentes e investidores privados, visando a melhoria e valorização ambiental da área central da cidade.

Parágrafo único – A área objeto da Operação Urbana Centro é a delimitada pelo perímetro assinalado na planta anexa n.º BE/03/OB/007/A do arquivo da Empresa Municipal de Urbanização – EMURB, acrescida da área dos lotes lindeiros aos logradouros que determinam este perímetro assim descrito: começa na interseção da via férrea com a Avenida Alcântara Machado (sob o Viaduto Alcântara Machado), prossegue pela via férrea até a Praça Agente Cícero, Praça Agente Cícero, Avenida Rangel Pestana, Largo da Concórdia, baixos do Viaduto do Gasômetro até a via férrea, prossegue pela via férrea até a Estação da Luz, segue pela Rua Mauá, Praça Júlio Prestes, Avenida Duque de Caxias, Largo do Arouche, Rua Amaral Gurgel, Rua da Consolação, Rua Caio Prado, Viela de ligação com a Rua Avanhandava, Rua Avanhandava, Avenida 9 de Julho até o Viaduto do Café, Avenida Radial Leste-Oeste, Rua João Passaláqua, Rua Professor Laerte Ramos de Carvalho, Rua Conde de São Joaquim, Viaduto Jaceguai, Avenida Radial Leste-Oeste, Viaduto do Glicério, Rua Antônio de Sá, Avenida do Estado, Rua da Figueira, Avenida Alcântara Machado até o ponto inicial.

Artigo 2º – A Operação Urbana Centro tem por objetivos específicos:
 
I.    Implementar obras de melhoria urbana na área delimitada pelo perímetro da Operação Urbana Centro;
II.    Melhorar, na área objeto da Operação Urbana Centro, a qualidade de vida de seus atuais e futuros moradores e usuários permanentes, promovendo a valorização da paisagem urbana e a melhoria da infra-estrutura e da sua qualidade ambiental;
III.    Incentivar o aproveitamento adequado dos imóveis, considerada a infra-estrutura instalada;
IV.    Incentivar a preservação do patrimônio histórico, cultural e ambiental urbano;
V.    Ampliar e articular os espaços de uso público;
VI.    Iniciar um processo de melhoria das condições urbanas e da qualidade de vida da área central da cidade, especialmente dos moradores de habitações subnormais;
VII.    Reforçar a diversificação de usos na área central da cidade, incentivando o uso habitacional e atividades culturais e de lazer;
VIII.    Melhorar as condições de acessibilidade à área central da cidade;
IX.    Incentivar a vitalidade cultural e a animação da área central da cidade;
X.    Incentivar a localização de órgãos da administração pública dos três níveis de governo na área central da cidade.

3*** IV – identificar e preservar os eixos histórico-culturais, que são elementos do Território de Interesse da Cultura e da Paisagem e se constituem a partir de corredores e caminhos representativos da identidade e memória cultural, histórica, artística, paisagística, arqueológica e urbanística para a formação da cidade, podendo fazer parte de territórios e paisagens culturais e de áreas envoltórias de bens tombados;

Anúncios
1 comentário
  1. Para constar: o diretor da Sisan só permitiu que montássemos a tenda/foyer/restaurante Nick Bar na parcela do terreno nos fundos do Teatro Oficina se concordássemos em desmonta-la ao final da temporada, assim como pediu a retirada da escada. Nunca concordei com essa desmontagem, mas também não neguei nem verbalmente nem por mensagem. Apenas não tratei desse assunto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: