arquivo

Arquivo mensal: fevereiro 2016

baile de carnaval 2

Foto: Cafira Zoé

GRITO DE CARNAVAL !!!!
SAMPÃ 2016

A pista do Teat(r)o Oficina, rua Lina Bardi, vira um verdadeiro sambódromo no sábado de carnaval, com direito a batalha de confetes, marchinas e sambas antigos, numa festa-desejo-folia cheia de força e felicidade guerreira!

BACANTES DÃO UM BAILE NAS TORRES…

“qual é o mais lindo presente
que os deuses dão pros mortais
o que é mais lindo
é o que é mais amigo
ter a cabeça do inimigo nas mãos
y a sabedoria de tocar
pra Ele ver de Pé
a nossa Vitória!”

Sábado (6), às 20H!

Confirme sua presença!
In the best Theatre… the more intense
– Rowan Moore, The Guardian London 2015!

 

grito de carnaval 02

fevereiro de 2016 da era do antropoceno.
o carnaval de sampã celebra a tomada das ruas pela multidão.
a cidade em transformação deseja reduzir carros, essas solitárias ilhas móveis nas avenidas sobre rios – itororó, saracura, bixiga, anhangabaú…
o apetite da especulação imobiliária, porém, não para.
a luta pela preservação do entorno do teat(r)o oficina tombado como terra sagrada destinada às culturas, nestes dias d carnaval, recebeu novo atiçamento com duas informações: o lançamento de um edital pela subprefeitura da sé oferecendo a exploração comercial dos baixios do minhocão; a pressão sobre o iphan, na pessoa de jurema machado, para q aprove o empreendimento do grupo ss – torres residenciais.
o bixiga é um bairro mangue, no sentido biológico, um bioma de fertilização, pois ainda é, no centro de são paulo, uma região q abriga grande diversidade humana. bixiga já foi terra de quilombo, por ali se estabeleceram italianos, tem recebido inúmeros refugiados, traz na sua arquitetura a memória de seus históricos cortiços, e desde o tbc, tem teatro! – essa arte da interpretação da vida, da inversão de valores e até dos sagrados valore$ do monoteísmo capital.
a luta para preservação deste bioma é a direção pro baile das bacantes! elas vem com dionísios no carro naval pra dar um baile nas torres.
venham humanxs com felicidade guerreira!
depois dos blocos, trazendo o fogo da cidade virada rua!
o carnaval é o acontecimento religioso da raça.
venham contracenar com a arquitetura do teatro,
serpentinas para o alto!
chuva de confetes nas divas cantoras báquicas,
cantar hinos, sambas, marchinhas, tomar um ar da oficina d florestas q existe no terreno, semear o espaço!
FAÇAM COROAS VERDINHAS DE HERA,
TIRSOS NAS MÃOS!
pra orgia, criem suas fantasias,
baixem as entidades
máscaras e descaramento.
desassombro!

ROTEIRO DA NOITE:

DESFILE DE ENTIDADES!          

DIONÍSIOS Marcelo Drummond
TIRÉSIAS Zé Celso
CACILDA Camila Mota
SEMELLE Sylvia Prado
Letícia Coura TARSILA DO AMARAL
Juliana Perdigão MADAME ARANHA
Cellia Nascimento POMBA GIRA
Gui Calzavara ZÉ PEREIRA
Roderick Himeros
DR ERIXÍMACO Rodrigo Andreolli
Mariana de Moraes
TRIO Revista Do Samba
DJ Jean

CORO DE BACAS Y SÁTYROS Y
TODXS QUE CHEGAREM PRA FESTA !!!!
DO ALTO DAS GALERIAS
FLORES
CONFETES
SERPENTINAS
SOBRE AS DIVAS CANTORAS SAMBISTAS

DANÇAR EM TODAS GALERIAS DO TEATRO!
GUERRA DE CONFETES
RETORNO DAS BACANTES AO
PLANTIO DE SEMENTES
NO TABULEIRO DE XADREZ
NO TERREIRO DO ENTORNO
lábios molhados
cio sagrado
silêncio

RETORNO AO BAILE ATÉ O SOL RAIAR
EIS NOSSO DIREITO AO AVESSO !!!!
EVOÉ MOMO

jurema machado

Foto: Janine Moraes

Segundo matéria publicada hoje na Folha Ilustrada:

“Órgão (IPHAN) vai liberar Torres perto do Oficina” 

Estas Torres são as da Sisan Empreendimentos Imobiliários, q faz parte do Grupo Silvio Santos, e irão, se aprovadas, sufocar o Teat(r)o Oficina y o Bixiga.

Jurema Machado, no seu Laudo do Tombamento do Teat(r)o Oficinatem a réplica necessária à matéria da Ilustrada de hoje, dia 1 de fevereiro d 2016

Tenho certeza q ela acredita até hoje totalmente no q escreveu. Mas, de uma maneira ou de outra, sinto q paira sobre a cabeça de Jurema a inquisição como a q caiu  sobre a cabeça de Galileu Galilei, ou mesmo a ameaça de ser queimada como Joana d’Arc.

É um escândalo  Cultural e Político isso acontecer com uma Autoridade e Pessoa tão fundamental na Presidência do Instituto de Preservação do Patrimônio Histórico e Artístico do Brasil, não poder fazer o q pensa pro bem do Patrimônio Histórico y Artístico Brasileiro.

Leiam com atenção estas palavras q resumem seu parecer do Tombamento de 2010.

É o q Jurema,  como arquiteta, urbanista, técnica e pessoa afetiva, pensa, sente e vive hoje ainda:

 

RESUMO DO Q IMPORTA AGORA

A relação entre o Teatro Oficina e o Bexiga e as recomendações quanto ao entorno:
Os imigrantes italianos pobres, que se instalaram nos pequenos lotes do parcelamento da Chácara do Bexiga no final do século XIX, encontraram ali o núcleo semi-rural de Saracura, onde existia um remanescente de quilombo. Uma situação topográfica complicada, a proximidade do centro e da Avenida Paulista, fizeram do Bexiga um reduto de trabalhadores domésticos das casas de alto padrão, operários, trabalhadores informais, pequenos comerciantes. Esse modelo, que, segundo Raquel Rolnik em A Cidade e a Lei – legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo, se reproduziu em vários bairros da cidade, explica porque o Bexiga é hoje, não apenas o bairro dos italianos, mas o lugar das festas populares, do samba paulista, de uma das mais importantes escolas de samba do país – a Vai Vai, e dos terreiros de candomblé. Em torno dos anos 1960/70, o Bexiga se tornou um pólo da vida boêmia da cidade, lugar dos teatros (ainda hoje são mais de dez), bares e cantinas, hoje integrados a um circuito turistico-cultural de São Paulo.

Encontra-se em desenvolvimento, pelo Departamento de Patrimônio Imaterial do IPHAN, o inventário de Referências Culturais da região, que poderá oferecer insumos importantes para a salvaguarda desses valores culturais.

Tombamentos municipais (cerca de 900 imóveis) e zonas especiais (ZEPCs – Zonas de Especialis de Patrimônio Cultural e ZEIS – Zonas Especiais de Interesse Social) previstas pelo Plano Diretor atestam a importância do bairro e o interesse de se preservar ali, não apenas edificações, mas os usos e a diversidade que são o seu maior valor.
É imediato associar o Teatro Oficina a esse contexto por duas vias: tanto o Oficina pode ser tomado como elemento chave de um processo de reabilitação, quanto a preservação dos valores do bairro é essencial à vitalidade do Oficina.

O que não fica claro – e deveria merecer uma avaliação mais aprofundada – é porque uma cidade como São Paulo, onde se tem a maior e mais consolidada experiência de aplicação de instrumentos urbanísticos como a transferência do direito de construir e as operações urbanas não elegeu o Bexiga para a aplicação prioritária desses mecanismos, justo uma região tão bem localizada, que tem potencialmente muito mais valor para São Paulo – até mesmo sob o ponto vista estritamente financeiro – pela sua diversidade cultural do que pela quantidade de metros quadrados que se possa construir ali. Edificações com destinações comerciais e de serviços, que não tenham outros requisitos locacionais a não ser a acessibilidade, podem ser deslocadas dentro do espaço da cidade utilizando instrumentos dessa natureza. Já o lugar das práticas culturais é ali, e só ali. Se não for ali, o Bexiga como tal deixará de existir.

Jurema Machado
Rio de Janeiro, 24 de junho de 2010

Conclusão
Considerando o Parecer da Relatora e após discussão do Conselho, foi a seguinte a decisão final:

  • Pela inscrição do Teatro Oficina no Livro de Tombo Histórico e no Livro de Tombo das Belas Artes.

  • Pela re-avaliação posterior, pelo IPHAN, da delimitação do entorno, tendo em vista tratar-se de bem a ser inscrito também no Livro de Belas Artes e não exclusivamente no Livro Histórico,e

  • Pela manifestação, ao Ministro da Cultura, de que o Ministério e o governo federal identifiquem mecanismos que viabilizem a destinação do terreno contiguo ao Teatro Oficina para um equipamento cultural de uso público, utilizando mecanismos tais como a aquisição, a desapropriação ou a conjugação destes com instrumentos urbanísticos a serem identificados em cooperação com o Município e com o Estado de São Paulo.

 

Processo de tombamento N 1.515-T-04

Teatro Oficina, de São Paulo

 

Zé Celso

…a Terra gira… stá girando