arquivo

Amor Humor

IÓ! AMADA JUREMA MACHADO, PRESIDENTE DO IPHAN

Hoje, quando se luta pela transformação das metrópoles enfartadas, tanto nas vozes das ruas do Brasil todo quanto, felizmente, na voz do Prefeito de São Paulo Fernando Haddad, esta imagem do projeto da incorporadora SISAN – aprovado pela Presidente do CONDEPHAAT Ana Lana para o entorno do Oficina tem a feiúra de uma PENITENCIÁRIA. É provocação para uma GUERRA.

Simulação das edificações autorizadas pelo CONDEPHAAT no entorno do Oficina (destacado em vermelho)

Simulação das edificações autorizadas pelo CONDEPHAAT no entorno do Oficina (destacado em vermelho)

Obtivemos o PDF onde encontram-se as atas de duas reuniões :

1ª – O Conselheiro Egídio se coloca contra a permissão da construção de Torres Babélicas no último quarteirão vazio de SP como propunha a Presidente do CONDEPHAAT, e em seu posicionamento clama pela intervenção do IPHAN na contenda, antes da Catástrofe.

2ª – Outra reunião do chamado “Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico”, no dia 4 de junho de 2013, em que a Presidente impõe sua visão inoportuna para a questão do entorno do Oficina e permite a construção de Torres de apartamentos empilhados, mais que arranhando, penetrando os céus no Terreno do entorno tombado do Teatro Oficina pelo próprio CONDEPHAAT, por Aziz Ab’saber, João Carlos Martins, Flávio Império e pelo CONPRESP, assim como pelo IPHAN em 2010.

Estreamos “Cacilda !!! – Glória no TBC e no Aqui Agora de 68” no dia 16 de agosto no Teat(r)o Oficina e seu entorno, que ocupamos desde 2010, ano do tombamento federal que aconteceu em 24 de junho.

Estivemos viajando com a peça pelo o Interior de São Paulo em 3 SESC’s do Estado de São Paulo. Só soubemos da publicação no Diário Oficial de São Paulo quando chegamos de volta, em 11 de agosto. A Peça passa-se no Oficina e no seu entorno, inclusive onde está construído o “Nick Bar” para o público no Intervalo e depois do fim da peça.

Ana Lanna já cometeu o crime ecológico e a profanação pela intenção de destruição da ÁRVORE TÓTEM DO TERRENO ELEKTRÔNICO DO TEAT(R)O OFICINA, plantada por Lina Bardi: a CEZALPINA que atravessa os muros do Oficina e abre sua sombra no “AnhangaBaú da Feliz Cidade”.

No Diário Oficial está dito que nos oferecem uma servidão de passagem de 1 metro e 80 centímetros – tão estreita que passam por ela somente duas pessoas. Com esta permissão à Epeculacão Imobiliária pretendem destruir o janelão da lateral da Arquitetura Urbanística de Lina Bardi para o Teat(r)o Oficina – Terreiro Eletrônico, e muito mais.

Em setembro o entorno será uma das locações em que os arquitetos vindos de várias partes do mundo virão trabalhar durante a “BIENAL DE ARQUITETURA 2013 em SP” – criando com o Oficina Uzyna Uzona e o púbico em geral soluções para ocupação imediata do belíssimo espaço como Área Pública.

O Terreiro Elektrônico criado por Lina Bardi e Edson Elito este ano completa 20 anos no dia 3 de outubro com a estreia da 2ª parte de CACILDA !!!, A Fábrica de Teatro e Cinema, em que faremos do nosso entorno a réplica da Cia. de Cinema Vera Cruz, de São Bernardo do Campo, para as cenas de filmagem.

Nesta data iniciamos as Comemorações do Centenário deste “arquiteto”, considerado um dos mais ACORDES com o momento contemporâneo: Lina Bardi. Vem gente do mundo inteiro ver seu teatro e o projeto de ocupação no terreno do entorno que já na “precariedade radical”, como gostava de dizer Lina, estamos ocupando e cultivando.

A Intervenção do IPHAN neste assassinato cultural precisa vir o mais cedo possível. Foi aliás chamada, como já me referi acima, por um dos arquitetos daqui do CONDEPHAAT que antes da aprovação do entorno para fins de especulação imobiliária recusou a proposta da presidência e pediu que fosse consultado antes o Órgão dirigido por sua pessoa: o IPHAN.

O MPL – Movimento do Passe Livre, fez 4ª feira passada uma manifestação contra o Governo Alckmim envolvido na corrupção da construção do Metro. Temos sido apoiados e apoiamos este movimento deflagrador da transmutação do Brasil num corte Copernicano: antes e depois.

No Oficina realizam-se encontros no “CULTURA ATRAVESSA”, com os Artistas vindos do movimento das Ruas nascido no Ano Novo do hemisfério sul em junho em todo Brasil, precedido pelo movimento dos índios em todo Brasil através do Facebook. Isso que dizer que estamos, como nunca deixamos de estar, na luta com essa inversão dos objetivos dos Órgãos Públicos engolidos pela Especulação Imobiliária, pela Ditadura Financeira mundial imposta a todo Planeta.

Nos textos da permissão ao projeto Financeirista da Sisan referem-se hipocritamente ao Oficina como grupo que se notabilizou no combate à Ditadura – e nem se tocam na Arte q produzimos, intimamente ligada às terras que ocupamos – e nem imaginam que estão tratando com uma Obra de Arte Urbanística Arquitetônica. A Partir de hoje começa a luta para derrubar a Ditadura desta Presidência do CONDEPHAAT e a ganância fora de tempo do Grupo Sisan.

Chega de hipocrisia – tudo está feito pelo servilismo aos interesses do dinheiro pretendendo destruir “coisas belas”: os Patrimônios que são construídos, cultivados, pelas Paixões de multidões que atuaram com seu Corpo e Alma nos 55 anos do Oficina, e de seu Público sempre renovado pelas Primaveras das Juventudes. A infeliz Ana Lanna abriu seu jogo pessoal, de transformar um assunto de interesse público, despertado por uma luta de mais de 30 anos num assunto psicológico. Num domingo, em uma festa, declarou: “Construir uma Arena para o Ego de Zé Celso? Sou contra!”. Sua posição decorre de um ponto de vista psicológico que deve estar alojado no própio eguinho dela. Será que fiz alguma coisa errada para esta pessoa? Tenho curiosidade de saber de onde ela tira esta interpretação psicológica e a aplica em sua decisão num Orgão Público.

Estamos informando esta violentação do CONDEPHAAT aos próprios fins para os quais foi criado – o mesmo q acontece por ex. na Comissão dos Direitos Humanos com Feliciano aqui está acontecendo com esta Ana Lanna que por enquanto não sei quem é – mas só tenho dela a informação do ato criminoso q pretende ver realizado contra a Cidade de São Paulo e a razão de ser do Organismo q preside.

O MPL, que esteve presente nas reuniões dos artistas de SamPã (como chamo São Paulo), no Movimento “CULTURA ATRAVESSA”, certamente nesta 4ª feira de sua Manifestação pelas Ruas acolheria esta luta coletiva pela não destruição deste Terreno que vai se transformar numa Praça Tahir Brazeira: s Praça do “AnhangaBaú da Feliz Cidade’ para onde hoje dá a Rua Lina Bardi – Pista de Atuação do Teat(r)o Oficina.

Não é possível o IPHAN calar-se um minuto e não impedir a realização deste Crime Urbanístico Arquitetônico que ofende mais as Artes do que a Censura da Ditadura Militar. Está mais próximo à uma tortura imposta ao BIXIGA, à SAMPÃ e aos que no mundo todo estão lutando pela transformação desta Ditadura Financeira que vem comprando os Poderes Públicos de maneira cínica e sobretudo ignorante dos tempos presentes.

José Celso Marinez Corrêa

Presidente da Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona

JUREMA ENTRA NESTA CENA – ESTÁ DADA A DEIXA – AS RÉPLICAS NÃO PODEM DEMORAR-SE MUITO SENÃO QUEBRAM O RITMO DA AÇÃO/

ESTES ACHINCALHES À CIDADE ACORDAM A SAÚDE DE NOSSA ENERGIA MAIS ESPERTA PARA IMPEDIR MAIS DEVASTAÇÃO, AFINAL ESTAMOS DESPERTOS COM PESSOAS IGUAIS A NÓS LUTANDO EM TODO MUNDO PARA DISSOLVER A CONTINUAÇÃO DA DESTRUIÇÃO DA VIDA NAS METRÓPOLES PELOS QUE TEM A PAIXÃO PELO COCÔ DO $$$$$$$$$$.

AMADA JUREMA : TUDO A FAZER : ESTAMOS PRESTES

Rap composto e ensaiado no final do espetáculo de Cacilda !!! – Gloria no TBC & 68, com o Público, dia 18 de Agosto de 2013

Para ver o vídeo clique aqui: http://new.livestream.com/uzyna/cacildasampa1/videos/27699786

O Ai 5 já Era
agora a Terra
vive
outra Guerra

A Praça da Turkia : Taksim
no Brasil é no Oficina

Táki Sim Taki Sim

 O Oficina Lina Bardi ameaçado
de ser encaixotado
pelo Condephaat
do Governo do Estado

Comprado
pela  Especulação Imobiliária
da SISAN
enfarta  o Bixiga e toda SamPã

Felicidade Guerreira
Vem Primeira
Lutar Corpo & Alma pra ganhar

Vamos juntos  já
ocupar
o  Nick Bar

Devorar esse Répão
feito hoje na Improvisação

Fora Ana Lanna
Infeliz Feliciana

O Teatro é uma Arte aparentemente em Extinção, como muitos animais, plantas, mas é uma arte imanente descoberta por nossos ancestrais milenares. Ela foi o ponto de encontro das Cidades da Antiguidade e recarrega a energia com poder de comer a Especulação Finaceira que devorou, no Brasil, o Phoder Humano da Arte Política.

Toda esta matéria sem circulação social, sem meios pra ser digitalizada, socializada, encenada, proibida pelo Bloqueio Econômico Permanente do Capital, do Mercado – por ter tocado nos Tabus do Sistema Cristão Capitalista, estava vivendo seus momentos mais difíceis este ano no Brasil, sufocada por ares poluídos e águas estagnadas. Mas nas últimas semanas pôde respirar aliviada, deixar suas arenas e manifestar-se nas Avenidas com as Multidões.

Foi descoberto o óbvio: quando tudo estaciona na Esclerose do Vodu dos Poderes do Sistema Burocrático Financeiro os Phoderes Humanos dos Corpos Bioecológicos impedidos de ser, vão agregando mesmo sem saber, inconscientemente, uma energia que explode no ponto máximo do limite da opressão. Sempre tudo começa com uma gota d’agua, desta vez foi uma gota de 20 centavos e o Oceano todo emergiu trazendo todos os descontentamentos destampados, fazendo chegar a prova dos Nove da Alegria nas Ruas do Brasil, com estratégias novas, inteligentes, baratinadoras!!!

Precisamos neste momento da Presença do que gera a recriação desta Arte. Muitos têm este talento – ARTISTAS E ESTRELAS DA ARTE POLÍTICA – mas estão cercados e isolados pelos Canastrões que ocupam os Postos em nome do Povo: uma maioria dos Sem Talento Político. O que possibilita este “TALENTO” são pessoas que constroem por Amor a cultivar a AgriCultura da Cultura, ACORDES com as Revoluções dos Costumes Patriarcais, da Era Digital, das Ciências todas, sobretudo com as polêmicas: as Genéticas e as que podem por fim à suja guerra perdida contra as chamadas Drogas, assunto da Medicina, nunca da Polícia. Ciências que percebem o Poder das Artes e da Vida ao Vivo em Mutações Permanentes.

Essas Manifestações, que conseguiram vir até nós em todos os pontos da Cidade quando não íamos ao encontro delas, podem trocar a violência e a aridez de uma Política sem Arte ou Emoção, baseada em velhas palavras de ordem, pela Imaginação, e trazer a Poesia – como Maiakovski na Revolução Russa – pras Ruas, pro Estado, pras Corporações Financeiras que se quiserem participar neste momento devem virar-se do avesso, investir muito não somente na EDUCAÇÃO E NA SAÚDE, mas na CULTURA, ARTES, PESQUISA CIENTÍFICA, TECNOLOGIA.

Se não houver investimentos na CULTURA LIVRE E NAS ARTES QUE CRIAM COM AS CONTRADIÇÕES DA LIBERDADE, COM O PARADOXO HUMANO ANIMAL, VEGETAL, COM A POESIA, BELEZA, PRÁTICAS DE ACORDO COM A BELEZA DA VIDA DA NATUREZA, ESTAREMOS REPETINDO ETERNAMENTE AS MESMAS “PALAVRAS DE ORDEM”, E O MANIFESTANTE DE HOJE SE TORNA O POLÍTICO CANASTRÃO DE AMANHÃ.

O QUE PODE O SER HUMANO É INCOMENSURÁVEL E COM O PODER DA ARTE, DA CULTURA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA, SE TORNA POLÍTICO PHODEROSO PARA ENCONTRAR NESTA BABEL, SAÍDAS CRIATIVAS QUE A SITUAÇÃO DE RETOMADA DA ALEGRIA DAS RUAS INSPIRA.

GERALMENTE SOMENTE SE DÁ ESTE ENCONTRO A DOIS, ENTRE NAMORADOS, MAS NO TEATRO A PRÁTICA É COLETIVA, MAIS PRECISAMENTE ORGIÁSTICA – NÃO TEMAM ESTA PALAVRA QUE É SAGRADA – SOMOS TODOS DA MESMA ESPÉCIE E PRECISAMOS DESTE LUGAR ONDE OS HUMANOS SE ESPELHAM E VÃO ALEM DE SI MESMOS ATRAVÉS DE ROTEIROS IN(s)PIRADOS NA MARAVILHOSA LITERATURA TE-ATAL DE TODOS OS TEMPOS E NA QUE SE CRIA NO AQUI AGORA QUANDO PESSOAS SE PERMITEM ENCONTRAR, COMO MORTAIS EM PLENA LIBERDADE POR UMA COINCIDÊNCIA DE TEMPO.

É HORA, É TEMPO, DO TE-ATO ENTRAR EM CENA PÚBLICA.

intimacao

Pois é. Acabo de receber esta intimação policial como “Ilmo. Sr. Diretor da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, para fazer comparecer no 23º DISTRITO POLICIAL DE PERDIZES, dia 11 de junho, um dos nossos tecno-artistas associados para elucidar os fatos, e mais: reconhecer os atores de teatro em fotos ou vídeos postadas na web sob o título “Decapitação do Papa na PUC”, na “Ocupação da PUC pela Democracia”.

Achei o documento francamente delicado, educado, mais ainda, até afetusoso. Mas… o fato é que estamos sendo precessados mais uma vez pelos que devíamos processar pelo desrespeito ao Teatro e ao Estado Laico Brasileiro: os “Fundamentalistas Católicos Apostólicos ROMANOS”, que consideram a atuação teatral farsesca mais desrespeitosa do que o próprio ato destes Fundamentalistas de violar o espaço até então livremente sagrado da Universidade Católica.

Os alunos e muitos professores ocuparam a Universidade em virtude da nomeação para a Reitoria de uma candidata que pegou 3º lugar na eleição, mas foi a escolhida antidemocraticamente pelos representantes do Vaticano no Brasil por estar de acordo em transformar a PUC num “Recinto de Pregação Fundamentalista ROMANA”.

Estamos pasmos de ver todo dia e toda noite as epidemias mundiais assassinas na violência praticada pelos Monoteísmos Fundamentalistas de todos que se consideram donos de “Uma Verdade Absoluta” e “Um só Caminho”.

Ratzinger, antes de ser Bento XVI, já tinha castrado o movimento da Teologia da Libertação, de importância imensa para a vida cultural, religiosa e social do Brasil. No ano passado, quando sua fé como Papa já estava se perdendo, o representante de Deus na Terra quis tornar a PUC o que era no seu início.

Eu fiz dois anos de Filosofia na PUC nesta fase inicial, antes dos anos 60, ao mesmo tempo que fazia Direito na São Francisco. Desisti porque, entre outros, nosso professor Alexandre Correia, por exemplo, explicava com argumentos na matéria que lecionava, Lógica, a transubstanciação da Eucaristia em Corpo de Cristo… Vocês acreditam?
O Livro de Filosofia adotado no curso era um Catecismo trans-medíocre do Padre Leonel Franco.
Mas depois a PUC evoluiu de acordo com a evolução da Igreja nos anos 60,70 e 80 e tornou-se mesmo um reduto das mais decisivas lutas para derrubar a Ditadura Militar no Brasil.
O velho fundamentalismo do ensino havia sido superado e a Universidade Católica de Perdizes tornou-se Exemplar no Brasil e no Mundo pela sua prática da Liberdade Criadora nos Ensinos da Ciência, das Tecnologias e das Artes.

No ano passado estudantes da PUC foram nos procurar quando estávamos fazendo a peça “Acordes”, de Bertolt Brecht, chamando-nos outra vez à luta pela Liberdade do Ensino Laico no Estado Brasileiro Laico, na PUC agora ameaçada pela regressão à uma Universidade Fundamentalista Católica Apostólica ROMANA.
Os estudantes tinham ocupado a PUC e não permitiam a entrada da reitora imposta pelos representantes do Papa em São Paulo.
Na peça “Acordes” havia um Bonecão que representava o Capitalismo e que era despedaçado por dois Palhaços numa Cena de Circo de Horrores, no estilo tradicional teatral de “Gran Guignol”.
Então adaptamos o texto para a situação que a PUC estava sofrendo e apresentamos esta cena clássica do “Circo-Teatro” de Todos os Tempos: a Desmontagem, a DesParamentação, a retirada de uma Máscara Papal, tal como o próprio Ratzinger que acabou, ele mesmo, safando-se, saindo dela.

Será que a Bruxaria Teatral tem este poder? Libertou Ratzinger da própria Estrutura de sua Fantasia Papal?

O Teatro tem este poder: o de mostrar o ser humano mortal Paramentado com as vestes que lhe conferem Autoridade, muitas vezes destruindo a própria humanidade dos que se Paramentam, que passam a agir como Aparelhos, pois a Mascara se colou à pele

Jean Genet, em sua Obra Prima “O Balcão”, mostra um Bordel onde os clientes vestem as máscaras sociais de Papa, de Juiz, de Rainha, de General, de Polícia, etc… para transar seu “p(h)oder” com as putas que fingem acreditar em suas representações.
Na peça há uma Revolução e estas Máscaras das Autoridades são depostas, mas os partidários anti–revolucionários que restam vão ao Bordel e pedem que os clientes que frequentavam o Puteiro apareçam no Balcão do Palácio do Governador com suas Fantasias para conter a humanidade revoltosa com elas: suas Máscaras de Poder.

Bertolt Brecht tem em “Galileu Galilei” uma das mais belas cenas de teatro: mostra um Cardeal a favor da liberdade da Ciência, amigo de Galileu que vai se tornar Papa, mas à medida que vai se paramentando de Cardeal da Santa Inquisição, passa a argumentar a favor da prisão e tortura do grande físico Galileu porque ele afirma que a Terra gira.
No final da Paramentação, quando recebe a Mitra, o Cardeal Libertário concorda com a intimação do seu ídolo: o físico GG, para as salas de Tortura da Polícia da Inquisição.

Querer incriminar os artistas de Teat(r)o por esta cena é um atentado à liberdade de expressão do ator, isto é, ao “Anarquista Coroado”, como Artaud, um dos maiores sacerdotes Xamãs do Teatro afirma.

O Teatro é realmente o lugar onde tudo que é humano, transumano, subumano, animal, vegetal, mineral, pode ser vivido em forma de Máscaras de Dionísios, seu deus.
É o espaço da Liberdade Total. Nós das Artes, que lutamos contribuindo para abolir a Censura no Brasil durante a Ditadura Militar e ganhamos esta conquista não podemos recuar e aceitar a CENSURA à nossa atividade.

Esta criminalização da etherna atividade teatral à Liberdade de “rir corrigindo os costumes” demonstra que quem nos processa quer criminosamente o retorno do “Imperialismo Romano Católico Apostólico”, intrometendo-se no Estado Democrático e Laico brasileiro em forma de Criminalização Inquisitorial.

O Brasil é um país de maior número de católicos no mundo. Eu mesmo sou batizado, fiz 1ª Comunhão, mas por ter uma educação religiosa fundamentalista tirei o meu Corpo deste campo minado de Perversões.
Os brasileiros católicos não são romanos, são católicos antropófagos – frequentam o espiritismo, a Macumba, o Candomblé, a Umbanda, o Budismo – trepam com camisinha, portanto não somente para fabricar filhos, mas pelo prazer desta prática sagrada que é o ato sexual em si – um ato de amor, de criação e procriação quando há consentimento das partes.
Se casam, como os gays de hoje. Se a mulher que é mulher sabe o que quer e quiser abortar, aborta e depois confessa e comunga.
Sou vizinho de um lugar onde de 15 em 15 dias se encontram casais católicos carismáticos que passam os sábados e domingos dançando ao som do Tambor com toques até de Mãe Menininha.

Há, como diz Oswald de Andrade, um sentimento religioso “órfico” em todos nós, diante do Mistério da Vida no Cosmos.

Nossos ancestrais – minha avó paterna era índia – eram antropófagos, comiam carne humana tanto do inimigo mais forte para lhe adquirir as qualidades quanto dos entes queridos, filhos, irmãos, pais, avós, mulheres e maridos.
Era uma Cerimônia não para matar a fome, mas religiosa como a Eucaristia Católica que é uma sublimação da Antropofagia.
Talvez por isso no Brasil o catolicismo popular da maioria não tem a rigidez de outras religiões.

O Fundamentalismo é imposto pela religião do Hemisfério Norte, que antropofagiou o Império Romano e seus cristãos entregues aos leões, e tornou-se a Religião Católica Apostólica do Império Romano com ambições colonialistas e imperiais no mundo todo.

Esse tempo passou.

Vivemos de acordo com o que desejamos para nós mesmos e para todos, de mais gostoso.

A submissão a podres poderes é um assunto que está querendo retornar pelos que se sentem inseguros diante das revoluções que vem trazendo outros ares aos nossos tempos, desde 1967.

Esta intimação, aparentemente delicada, acolhe os interesses dos inquisidores fundamentalistas que determinam que eu, como diretor do OficinaUzynaUzona, cometa o crime anti-liberdade teatral e pró-censura de intimar artistas ou técnicos da nossa Cia. a dedurar através de fotos, como criminosos, atores que atuaram num evento pelo retorno da democracia na PUC.

Este instrumento jurídico, que a Inquisição da PUC conseguiu passar para  uma Delegacia de Polícia, é uma intimação contra a Constituição  do  Estado Democrático Laico no Brasil, a favor da reinstauração da Censura, contra a qual tanto lutamos nos tempos da ditadura militar.

É um atentado a Arte considerada como Crime.

Não desejo ser cúmplice deste Crime por isso vou por a  BOCA NO TROMBONE DO MUNDO.

José Celso Martinez Corrêa

orgulhosamente

Presidente da Associação Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona

Paz Humor Amor e Muito Mais

Screen Shot 2013-05-23 at 15.29.23
Eu não freqüento redes sociais, mas fui informado que você, Gerald, baseado em seu trabalho na Anistia Internacional declara que nunca fui torturado. Não me vanglorio de ter sido, nem faço marketing disso, detesto.

A Tortura me trouxe de positivo somente a Sagração de Amor ao Corpo Humano e de qualquer ser vivo: Animais, Plantas… depois de ter passado por porradas dentro um círculo de uns 10 homens  que quebraram meus dentes, e completaram a deformação de minha coluna por ter sido pendurado no Pau de Arara para receber choques elétricos, o que acirrou minha escolióse já existente. Dores que sinto hoje com a idade avançada, mais e mais violentas que nunca.

Recebi uma indenização que me foi concedida pela Secretaria Nacional da Justiça, pela Comissão de Anistia, presidida pelo Dr. Paulo Abrão num Ato Público belíssimo com a presença de todos os Membros desta Comissão no, Teat(r)o Oficina .

Esta  indenização foi de 4.000 reais mensais, até o fim de minha vida, acrescida  de R$500.000,00 que foram desdobrados em mesalidades de R$5.000. Somando tudo  R$9.000,00, e deve vencer este ano, quando então passarei a receber R$4.000,00.

Me referi á esta indenização ao Repórter do Globo por ela ter me permitido sobreviver estes últimos anos e ainda investir no Oficina Uzyna Uzona nestes momentos como agora, em que o Patrocínio da Petrobras, que cobre 1/3 de nossas despesas, demora seis meses para chegar até as nossas mãos.

Essa sua afirmação de que não fui torturado é o mesmo que você dizer que nunca houve Holocausto, onde você perdeu toda tua família.

Foi me mostrado hoje que seu facebook serve agora para aglutinar todos os “hate groups” Oficinofóbicos.

Não sei como, mas parece que isso te traz uma felicidade de militante de uma causa contra um colega seu e talvez ex-amigo.

Vá entender?!

Screen Shot 2013-05-22 at 12.58.18

Ió! Amado Gerald,

meu Amor, tente entender seus novos enganos:

Quero você ao meu lado para termos condições mínimas e máximas para nossa arte ao vivo.

Pus teus textos no meu computador e fui tentando te acalmar e esclarecer sobre o que se passa realmente comigo e o Oficina Uzyna Uzona.

Fui comendo teu texto que me enviaram do teu Blog tentando fazer o “grande cansaço em explicar o Mar”.

Onde ponho você diretamente escrevendo, sem ser antropofagiado uso verde-Leminski maravilhoso e também verde bilis e onde é vermelho o que devorei de teu Panegírico de Hate Group ao Oficina Uzyna Uzona e à minha pessoa.

Não estou com seu email. Por enquanto vou pedir que postem no meu Blog. Logo que conseguir seu endereço te envio.

Juro que consegui uma delicadeza e um carinho que meu Horóscopo de hoje me aconselhou.

Nós – há 20 anos no Oficina Uzyna Uzona – ocupamos não um “carro conversível” da Lina Bo Bardi, mas uma Obra de Arte desta que é um dos maiores arquitetos contemporâneos, que tirou a arquitetura dos caixotes como Hélio tirou a pintura dos quadros nas paredes, e abriu suas obras ao mundo, à natureza, criando a “arqueologia urbana”, como ela definia.

Vêm arquitetos e urbanistas do mundo inteiro visitar o Oficina “Obra de Arte” que é um Espaço Cênico novo pro mundo – A Burguesia de SamPã considera o teatro incômodo, detestaos bancos e cadeiras de Lina e não frequenta, infelizmente, o Oficina.Nosso público é principalmente de jovens, por isso nossos ingressos tem de ser baratos – mas acho que Teatro tem de ser pra todo mundo. Luto para que isso mude e colocamos até poltronas estofadas numa das Galerias para dar conforto a esta classe de pessoas.

Vou te mandar um número da melhor revista de arquitetura do mundo, a Domus italiana, com uma reportagem e fotos lindas do “Carro Conversível” e de sua proposta de complementação urbana no “Anhangabaú da Feliz Cidade”: Complexo Público Urbano pra levantar o Bixiga, bairro central mas periférico da cidade, detonado pelo Minhocão.

O Bixiga  já foi como a Lapa no Rio, Coração Cosmopolita e Popular da Cidade.

No Terrenão que nos cerca queremos um Teatro De Estádio para Multidões – como diretores, como Mehyerhold e o arquiteto Gropius sonharam. E queremos a Universidade Antropófaga, a Oficina de Florestas e uma creche para as crianças do Bixiga. O Oficina foi tombado pelo IPHAN em 2010 – com um laudo de muito conteúdo, um dos melhores textos escritos sobre o Teatro Oficina até então, por Jurema Machado – na época representante da UNESCO no Brasil, atualmente diretora do IPHAN. Neste Laudo o IPHAN recomenda que sejam feitas gestões lideradas pelo MINC para compra, desapropriação ou outras medidas para que nosso entorno venha a abrigar uma Área Cultural de Interesso Público – aliás nós, com nossa “briga”, evitamos que nosso entorno se transformasse em um Shopping que iria expulsar os moradores do Bairro, ou em Torres para Apartamentos, como pretendia Silvio Santos.

Já estamos ocupando os terrenos, sem títulos de propriedade, por interesse e generosidade de Silvio Santos. Te informo que não brigo com ele há mais de 3 anos. Tornou-se nosso amigo e, por nossa sugestão, propõe uma Troca de seu Terreno com o MINC. A Ministra Marta Suplicy já entrou em negociações para a troca por um Terreno da União, para que o nosso Entorno possa ser destinado talvez à Prefeitura, mas para nosso uso também, compartilhado com o movimento teatral do Brasil e do Mundo.

O que será muito bom pois a Prefeitura poderá manter o Oficina e o Espaço do entorno – coisa que atualmente o Estado de São Paulo, proprietário do Teatro Oficina, desapropriado por Montoro, não faz. Tivemos que nos virar  todos estes anos para  arcar com despesas altíssimas de Luz, Água, Faxina, Segurança  e Manutenção.

Portanto te informo que não ando pedindo dinheiro pra Prefeitura pra comprar o terreno. Pasme! Conseguimos que Sílvio Santos tope uma Troca de Terrenos com o Governo – que não precisará desembolsar dinheiro, mas trocar terras, e continuar com elas – pois pertencerão à Prefeitura – para erguermos juntos este Espaço Público Aberto.

Dia 3 de outubro estaremos comemorando o 20º aniversário do que chamamos Terreiro Eletrônico de Lina Bardi e de Edson Elito com a estreia do 2º Capítulo de Cacilda!!! – Glória no TBC, a Fábrica de Teatro e Cinema.

Os MILHÕES da Petrobras foram pra editar 13 DVD’s: “Bacantes”, “Boca de Ouro”, que você viu,”Cacilda!” e “Ham-Let”, que você viu também, as 5 peças de “Os Sertões”, “Taniko”, “Bandidos”, “Cypriano e Chantalan” e “Vento Forte para um Papagaio Subir”. Ainda temos três para editar, já filmados, mas sem patrocínio para finalizar: “Cacilda!! – Estrela Brazyleira a Vagar”, “Macumba Antropófaga” e “Acordes”.

Eu e Marcelo fomos muito bem recebidos por você em NY, que pagou todas as despesas de hotel, restaurantes para nós, pois você sabe, não seja hipócrita, somos mais duros que você. Lá apresentamos só “Bacantes”, e não pretendo nunca TIRAR $$$ DE GRUPOS NOVOS, mas sim lutar – como lutamos pela criação do projeto do FOMENTO com muitas reuniões de um movimento que eu não gostava do nome: “Arte Contra a Barbárie”, pois adoro a Barbárie Tecnizada, como Oswald – para o aumento da verba para mais Cias. serem atendidas, mesmo o Oficina Uzyna Uzona, que por não ter dinheiro além do núcleo forte da Associação, trabalha com gente muito jovem, pois não temos dinheiro para trabalhar com os profissionais mais maduros como eu adoraria também poder trabalhar.”FOMENTO” justamente para incentivar Companhias novas, como a que estamos criando agora, grupos novos, ideias novas de pessoas que não têm e não sabem entrar nesse complexo sistema de proteccionismo! ELES trazem o sangue novo sempre pro Oficina Uzyna Uzona.

Só gosto de vodka na Polionia e na Rússia, Minha bebida é Vinho Tinto Seco, todas as noites – dos bons – que ficam na segunda prateleira dos Supermercados. Poucas vezes me atrevo a olhar para as altas, onde estão os mais caros e mais deliciosos. Tomo o Vinho que traz os “evoés” de Dionísios. Mas desde que montamos Bacantes você afirma, não sei porque, que este nome é mais pra Restaurante Grego?!  A mesma coisa vem agora com a Vodka?!

Gerald Thomas (indignado!)
Que horror, você luxo de pessoa, dar-se a este sentimento tão classe média, tão moralista. Não fica bem em você, um grande artista, pois como eu, e todos os artistas, não somos  “dignos”. Isso é mais papo da velha UDN – sei que é uma menção de um Velhinho de 76 gloriosos anos de Liberdade de só fazer o que manda seu coração, como Chiquita Bacana: existencialista.

“ALGUÉM TEM QUE DIZER ALGUMA COISA! ISSO EH UM ESCÂNDALO, ESSAS PESSOAS TEM DÉCADAS DE TEATRO. AINDA NÃO SÃO AUTO SUFICIENTES?”
Eu também acho um absurdo. É nossa incompetência administrativa ou é a Miséria Cultural Mundial que os Poderes Privados e Públicos devotam sobretudo à Arte Teatral, parteira de todas as Artes de Perfomances, na Vida, na TV, no Cinema, na formação de Apoderamento Pessoal do Povo. Esses Poderes até hoje não reconhecem o Oficina como uma Cia. Permanente que tanto deu ao Brasil a ao Mundo, mesmo que o mundo nem saiba disso ainda.

Será que é preciso esperar minha morte ? Nada conseguimos sem lutar muito, desde que criamos em 1958 o Oficina.

Não temos, nem nunca teremos, nosso TERRENO-TERREIRO: somos posseiros do Oficina há mais de 52 anos. Nunca assinei um documento que a Secult do Estado quer nos impingir  de “permissão de uso” do lugar que criamos. A Secult do Estado é proprietária do terreno. E mesmo havendo a troca de Terrenos, o terreno passará, tomara, para a Prefeitura, que tenho esperança, nos libere das despesas altíssimas de manutenção do Espaço.

Eu não tenho propriedade nenhuma, nem seguro médico. Alugamos dois  apartamentos no Paraíso. Marcelo, eu, e Roderick, um jovem talentosíssimo, ator que faz o papel de Adolfo Celi em “Cacilda!!! – TBC”.Parece com aquele hotel que você nos pagou em NY – Marcelo fica numa extremidade e eu numa outra – venha nos visitar e conhecer nossa moradia com cara de “República Estudantil”. Não é que eu adore viver assim – gasto toda minha anistia em remédios para o Coração, que são caríssimos, vinho e taxi. Mas lógico que queria viver como Bob Wilson vive – e com as condições técnicas dos Espaços que ele tem, principalmente o dos EEUU.

A PREFEITURA NÃO VAI TIRAR NADA DO CONTRIBUINTE – VAI GANHAR PARA SEU PATRIMÔNIO UMA PROPRIEDADE COM UMA OBRA DE ARTE ARQUITETÔNICA E MAGNETIZADO COM A ENERGIA CRIADORA DO OFICINA UZYNA UZONA – UM TERREIRO MESMO / OBRA DE ARTE – QUE VAI BENEFICIAR OS CONTRIBUINTES – QUE NÃO TEM O QUE COMER E ALIÁS, POR ISSO, NEM CONTRIBUEM, COMO VOCÊ AFIRMA.

Trabalhamos com o POVO DO BIXIGA – principalmente no CIRCO DO BIXIGÃO – que funciona no Teatro Oficina.

EH UM ESCÂNDALO. DIZ QUE O LULA EH UM DIVINO E EXPLICA QUE LULA EH A REINCARNAÇÃO DO PADRE NÃO SEI DAS QUANTAS PRA JUSTIFICAR TAMANHA PUXAÇÃO DE SACO.
Nunca disse nada parecido, nem sei quem é o tal Padre que talvez você conheça. Agora me ficou uma dúvida, quem você acha que trata mal os garçons: o Lula, eu,ou você????!!!!

EU VI COMO ELE TRATA (melhor dizendo, destrata) garçom em NY. E agora José? E agora Zé?Cade os MILHÕES desde o Ricardo Otake na prefeitura? Cade?
O Ricardo Otake foi Secretário da Cultura do Governo Fleury, nunca da Prefeitura. O dinheiro desta Secretaria foi investido parcialmente nas Obras de Finalização do Teat(r)o Oficina, pois tivemos antes $ até de Maluf nas fundações deste Terreiro Eletrônico, e até uma pequena herança que recebi, investi nestas Obras, sem contar o $ da Venda do “Arquivo Oficina 20 ANOS (1958-1978)” à UNICAMP – para o Arquivo Edgard Leuenroth.

Será que você ficou velho, Zé Celso?
Claro amor, tenho 76 anos e nesta idade comecei a sentir o que é o Corpo envelhecer,mas em Cena ainda sou um moleque.

Assusto-me quando vejo que esse ser adorável que se chama Zé Celso Martinez Corrêa, pode, em questão de alguns poucos anos, passar a ser simplesmente um bobo.
Isso você conclui depois de sua Ode a Bob Wilson – me acusando de ter mantido o mesmo pensamento por 76 anos. Sabia que eu fui ver a “Ópera dos 3 Vinténs”, de Brecht, de Bob Wilson e gostei tanto que o convidei para vir dirigir “A MORTA”, de Oswald de Andrade, no Oficina?Mas tenho que confessar que detestei  no dia seguinte “Lulú”, de Widekind.

Luís Antônio, meu irmão, amava esta obra prima. Ele foi assassinado por dois Jacks Estripadores quando montava esta maravilha no natal, com Fernadinha Torres como Lulú. A Montagem com aquela senhora alemã, já sem libido, e aqueles cristais, é uma Ode contra a Sexualidade – Lulú, o instinto da Vida, o Espírito da Natureza, foi assassinada como Luís Antônio.

Gerald, te acho muito mal informado sobre meu trabalho, o que te faz destilar esta bilis que faz mal, acima de tudo, pra você mesmo.

Sai dessa – venha fazer Cia. permanente aqui no Brasil, já que você acha tão fácil assim. Afinal você já tem muitos anos de trabalho também no Brasil. Merecia ter uma Cia. onde fosse pago como Bob Wilson.

Se você me ama realmente, e não é pose, leia este luminoso texto do Laudo do Tombamento do Iphan, coisa rara em documentos burocráticos.

ALÉM DOS INÚMEROS  E GRAVES PRECONCEITOS E FOBIAS
A BANCADA DOS GRUPOS DE ÓDIO
INVENTOU MAIS ESTA: A VELHOFOBIA

SOU CHAMADO PELOS DEFENSORES DE SE METER NA VIDA ALHEIA
ATRAVÉS DA RELIGIÃO E DO ESTADO
DE
VÉINHO Q QUER APARECER 

ME ORGULHO DE, COM 76 ANOS, SER O SER Q CRIA A ARTE DO APARECER:

A ARTE TEAT(r)AL

AO VIVO
E EM TRANSMISSÃO DIRETA VIA NET
NA TRANSVERSALIDADE DAS MULTIMÍDIAS
FABRICANDO EM COMPANHIA DE  “CORPOS-ALMAS” DE TODAS AS
IDADES
CLASSES
CULTURAS
ETNIAS
SEXOS
NO MAIS Q CINQUENTENÁRIO TEAT(R)O DE MUITAS GLÓRIAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS:
O OFICINA UZYNA UZONA
ESTA NOVA ERA DE LIBERDADE PRO CORPO-ALMA
SINTONIZADA COM A GRANDE MÁQUINA CÓSMICA DO DESEJO UNIVERSAL

ME ALEGRA SER UM SER Q VIVEU SEMPRE NO VIR A SER PRA NÃO SERVIR
E MUITO MENOS PRA SER SER VIL
UMA FORMA DE TEMPO PLUGADO NO CONTRATEMPO DO TEMPO

FAÇO PARTE DA TALENTOSÍSSIMA GERAÇÃO DOS ANOS 60
OS REAIS SENADORES DAS GRANDES TRANSFORMAÇÕES SURGIDAS NO BRASIL
DEPOIS DA  RETOMADA DA ANTROPOFAGIA DE OSWALD DE ANDRADE
E DA TROPICÁLIA

A IDADE AVANÇADA TEM O LADO TERRÍVEL DA DEGENERAÇÃO FÍSICA
MAS TEM A VANTAGEM DO AMADURECIMENTO DA SABEDORIA JOVIAL

JÂNIO DE FREITAS  (mais de 80 anos: o jornalista brasileiro mais íntegro e sábio)
ANTES MESMO DE MIM NA SEMANA PASSADA, EM SUA COLUNA NA FOLHA DE SP
DEU ESTE ALERTA DA AMEAÇA À DEMOCRACIA
VINDA DO FORTALECIMENTO DA CAQUÉTICA DIREITA
TANTO ENTRE OS RELIGIOSOS FUNDAMENTALISTAS
QUANTO OS RURALISTAS DEVASTADORES DA NATUREZA
OUTRO JORNALISTA (não sei o nome nem a idade) DO ESTADÃO
NO MESMO DIA Q JÂNIO DEU ESTE MESMO ALERTA
DE AMEAÇA NO ESTADO LAICO

ESTES FABRICADORES DE ESTIGMAS SÃO MAIS VELHOS Q TUDO
QUEREM UM RETORNO À INQUISIÇÃO PRA DEFENDEREM-SE DO PAVOR
Q TEM DAS PRÓPRIAS ENERGIAS LIBERTÁRIAS Q VIVEM APRISIONADAS EM SEUS CORPOS
DIANTE DESTA NOVA MANEIRA DE VIVER A VIDA
RE-APARECEU FRANCA E LIVRE NO SÉCULO 21

TEMEM SEU PRÓPRIO CORPO INDIVIDUAL E COLETIVO
DIANTE DA EPIFANIA DOS Q VÊM DESCOBRINDO POTÊNCIAS INUMERÁVEIS DA CONDIÇÃO HUMANA
REPRESADA POR 2013 ANOS DE  CRISTIANISMO

CAGAM-SE DE MEDO E INVESTEM CONTRA OS Q COM ALEGRÍA RENOVADA ACEITAM / DESEJAM AS NOVAS POSSIBILIDADE DE SUPERAÇÃO DO Q CHAMAMOS DE SER HUMANO

RENOVEM-SE PESSOAS – NÃO SABEM O Q PERDEM DA ALEGRIA DE VIVER PREOCUPANDO-SE COM A LIBERDADE DA VIDA ALHEIA

ABRAM SEUS CÚS FECHADOS PELO MEDO

E GOZEM

OH CUZÕES!

ZÉ  VÉIÃO

Todos que trabalham com a Arte
ou mesmo com seres humanos 
e os que se sentem mortais, humanos,
estão putos com esta situação
na Comissão dos Direitos Humanos 
que anuncia coisa pior:
o Congresso agora vai votar por uma proposta-lei
dos Evangélicos Fundamentalistas 
pra derrubar o Estado Laico Brasileiro.
 
Esta ação política corresponde a um Golpe Militar no Estado Democrático Republicano Brasileiro,
que há mais de séculos tem sido, felizmente, um Estado Laico.
 
A regressão aos estados fundamentalistas tem sido a causa de inúmeras guerras e de situações estupradoras monstruosas dos direitos humanos em todo Planeta Terra.
 
Precisamos todos nos movimentar urgentemente para impedir este Golpe de Estado para não sermos condenados a desumanidade das Ditaduras das Religiões Fundamentalistas.
 
Este Infeliz Feliciano é a Ponta de Lança da Ameaça de Um Golpe de Estado tão nefasto quanto o de 1964.
 
Além dos artistas, nós todos, mortais humanos, que assim se aceitam
e que não temos versão única da vida, da “verdade”,
nem somos proprietários dela,
que amamos a liberdade 
temos de criar juntos meios
para que esta regressão nefasta de aprisionamento da vida aqui no Brasil não aconteça.
 
É trabalho não somente de artista, mas de todos os humanos que tem amor ao Poder de nossa Condição Humana livre de tutela da Boçalidade Fundamentalista de uma Verdade Única.
 
 
Dia do meu renascimento aos 76 anos

Olá, Zé Celso. Tudo bem?

Sou Rayanne Azevedo, repórter de Cotidiano da Folha de S.Paulo. Estamos trabalhando em um caderno especial para o aniversário de São Paulo, em 25 de janeiro. Você topa responder a uma entrevista rápida? É sobre a sua relação com a cidade. Estamos enviando o mesmo questionário a outras pessoas (nascidas ou não em São Paulo, mas que vivem aqui). A ideia é montar um mosaico bacana com as respostas.

As perguntas são as seguintes:

1. Qual foi o primeiro lugar que você morou em São Paulo?

– BIXIGA

2. Qual é o barulho que você mais gosta na cidade?

– O do Teat(r)o Oficina e Terreno do entorno, onde o Inferno Acústico do Minhocão vira Mar. No 1º do ano passamos num Monte de destroços do quarteirão q estamos ocupando por Comodato como nosso atual amigo Silvio Santos – Monte que consagramos como nosso Totem. Fomos cercados por um bombardeio em roda, depois baixou um silêncio de “Oficina de Florestas”. Foi auspicioso.

3. Qual foi a maior loucura que já te aconteceu em São Paulo?

– Desejo q aconteça no dia 25 de janeiro de 2013 – aniversário da Cidade de SamPã e do Prefeito Fernando Haddad – coincidência q induz a acontecer uma loucura real: q o Prefeito receba o Presente do “Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona” à sua gestão: a COPA DA CULTURA DE 2014 no “TEATRO DE ESTÁDIO OSWALD  DE ANDRADE”, tornando público no seu dia, seu empenho urgente de  TROCA DE UM TERRENO DA PREFEITURA pelo TERRENO DO GRUPO SILVIO SANTOS NO ENTORNO  DO OFICINA TOMBADO PELO  IPHAN. COM ESSA TROCA O BIXIGA RENASCE COMO A LAPA NO RIO RENASCEU

4. O que faz de você um paulistano?

– Meu stress igual ao das quaresmeiras, pois crio nele como elas.

5. Que personalidade merece uma estátua em São Paulo?

– Se estátua valesse alguma coisa eu levantaría pra Eduardo Suplicy e Silvio Santos -os dois juntos.

6. Qual a principal vantagem de morar na cidade de São Paulo?

– Ter de Tudo, do Pior e  do Melhor – por isso chamo SP de SamPã  / Pã é =TUDO.

7. Vizinho em São Paulo é? (Conhece, nunca viu, mantém boas relações ou não…)

– Adoro todos do prédio em que moro e do prédio da frente e não somente de onde moro, mas nossos vizinhos do Teat(r)o Oficina – até uma q vive se queixando do barulho q fazemos e sempre nos ameaçando de chamar a Polícia.

8. Se você tivesse o poder de implodir um lugar em São Paulo, qual seria?

– Nenhum, tudo se transforma e pode ser habitado. O Minhocão por ex. pode virar um imenso Centro das Mais Diversas Transas nos seus baixos e em cima um Jardim, até com um pequeno corredor de trânsito. Paulo Mendes da Rocha fez um projeto Maravilhoso pro Minhocão em frente ao Oficina Desejo q consigamos  levantar.

9. O que é que o paulistano tem? (Charme, dinheiro, estresse?)

– É muito abstrato dizer “Paulistano” nessa Metrópole que tem quem vive a maior parte da vida dentro do Onibus ou do Metro, vivendo em bairros com toque de recolher, e outra que se transporta em  helicópteros – e concentra todo capital da cidade mais rica do Brasil, vivendo nos Carandirus de Luxo.

10. O que faz um paulistano feliz?

– Sei o que faz feliz este paulistano, eu mesmo: é estar batalhando pro BIXIGA se tornar de novo o Coração Popular e Cosmopolita de SamPã, como a Lapa  se tornou no Rio, daí minha felicidade é estar desde há muito tempo contruindo o “Anhangabaú da Feliz Cidade” com a “Universidade Antropófaga”/Teatro de Estádio/Oficina de Florestas reflorestando todo Bixiga/com Creche para o Bairro / e a Pista de Atuação do Oficina Uzyna Uzona, hoje “Rua Lina Bardi” atravessar os muros do nosso Entorno Tombado pelo IPHAN, ir ao encontro do TBC, pelos fundos e encontrar-se com o Jardim de Dona Yayá formando o inicio de uma Complexo Cultural chamado “Praça da Paixão”

Desejo não ser cortado tanto em nome de uma rapidez abstrata.

“Boa tarde!

Sou pauteiro do Jornal da Band e estou atrás do contato do Zé Celso. O ator Walmor Chagas faleceu na tarde desta sexta-feira e gostaríamos de repercutir a morte do ator amanhã (19) com o Zé Celso.

Vocês poderiam, por favor, me passar o contato do Zé?

Aguardo o seu retorno.

Obrigado,

Diego Costa.”


Ió! Diego, recebi a notícia do suicídio corajoso de Walmor aqui na “Praia dos Carneiros”, uma das muitas maravilhas de Pernambuco, nosso Repouso de Guerreiros, meu e do Ator Poeta da Arte Teatral: Roderick HimÉros.

Estamos preparando a Guerra pra ganhar 2013, estrategiando com nosso Poder Teat(r)al a peça: Cacilda!!! – Glória no TBC, 3ª das 4 peças que escrevi sobre a Arte Elétrica Quântica de Cacilda Becker, a partir de um prêmio que ganhei na gestão de Fernando Morais na Secretaria de Cultura da Cidade de SamPã em 1990. Este ato Trágico de Walmor atinge a peça em que estamos trabalhando, em cheio.

É sobre Cacilda, o TBC e… Walmor. Ele chega em Sampã e entra no TBC, dirigido por Ziembinski.

Conheci o poder deste gênio estóico pela primeira vem em “VOLPONE”, fazendo o MOSCA. Cacilda apaixonou-se de cara pelo sujeito transumano e pelo Ator, quando conheceu aquele menino, mais novo que ela, atuando em cima de um monte de Merda como uma Mosca Varejeira.

Em “Gata em Teto de Zinco Quente”, a personagem de Cacilda, Maggie, a Gata, não consegue trepar com ele, ele é gay, vive na cama do casal, enchendo a cara, não quer nada com ela. Walmor-Brik está atormentado pelo suicídio do seu Amante Skipper. E está ferido na perna esquerda, sem poder locomover-se direito. Na peça e na vida: Cacilda acaba ganhando por 12 anos Walmor Brick como marido, e seu maior parceiro Teatral.

Abandona o conforto do TBC e funda a Cia. com Walmor: o TCB (Teatro Cacilda Becker). Cara!, a peça agora podia se chamar Cacilda!!! – Walmor!!!

Cacilda teve um aneurisma no 2º ato de “Esperando Godot”. Walmor assistiu e viveu os 39 dias de coma da Atriz-Matriz e depois com permissão da família dela desligou os aparelhos que a mantinham com vida vegetativa e ele … suicidou-se pra não ser peso, nem pra ele, nem pra ninguém.

É uma Tragédia completa de Teat(r)o.

Uma TRAGYKOMÉDIORGYA.

Walmor e Cacilda: os maiores Ator e Atriz que o Brasil já fabricou!

Vai mudar muito a peça que escrevi em 1990.
Já encenei duas, da Tetralogia: na 1ª, Cacilda! (uma Exclamação) Walmor já entrou, vivido por Marcelo Drummond. Montei a segunda, também Cacilda!!(duas Exclamações), quando ela é uma Estrela a Vagar pelo Rio de Janeiro. Dou o ano de 2013 pra Cacilda!!! (três Exclamações) e este acontecimento com Walmor vira do avesso esta peça.

Em 2015, se estiver vivo, monto Cacilda!!!! (quatro Exclamações).

Cacilda Estragon e Wladimir Walmor, em Esperando Godot

Cacilda Estragon e Wladimir Walmor, em Esperando Godot

Agora é claro: pela atitude de Walmor, diante da vida toda, tudo que fez, Walmor e Cacilda equivalem-se, são ambos protagonistas. Marcelo Drummond vai viver este Protagonista este ano, da peça que será montada:

– no Teat(r)o Oficina

– em seu Entorno tombado pelo IPHAN em 2010, que já estamos ocupando: Um quarteirão Inteiro do Bixiga e

– no TBC em obras.

Soubemos da notícia por Felipe, o dono da Pousada que nos chamou pra ver em seu quarto uma entrevista dele com 80 anos, que a Globo News pôs imediatamente no ar. Nela Walmor, o entrevistado, contagiou a entrevistadora e vi uma das mais belas entrevistas teatrais de minha vida. Tente ver, é deslumbrante. Walmor nela afirma emocionado o Valor Incomensurável do Teatro, atuando, contando do aneurisma de Cacilda no 2º Ato de “Esperando Godot”, como nunca havia contado.

ENFIM, TENHO MUITO Q DIZER SOBRE WALMOR, MITO DE “CACILDA!!! – GLÓRIA NO TBC”, ONDE A ATRIZ DAS ATRIZES ENCONTRA UM JOGADOR COM A POTÊNCIA DE SEU JOGO.

Os dois nesta peça abrem espaço para a complementação de Lina Bardi de seu Projeto Urbano pro Oficina, o renascimento do BIXIGA.

A Bandeirantes foi onde Cacilda mais trabalhou no tempo do Video Cassete. Tem de entrar nesta Aventura. Eu SOU APAIXONADO POR TODA MINHA VIDA PELA DUPLA – ESTE SUICÍDIO BATEU EM MIM FORTE.

MERDA