arquivo

Cacilda!!!!

tizerias + cacilda

TyZÉRias e Cacilda no Baile das Torres, prestes a semear o terreno do entorno cercado. Foto: Mário Pizzi

zé,

acho q como bateu,

atingiu as pessoas,

sobre a importância de tirar a corda do seu pescoço,

mas é também fundamental atingir, chegar, bater,

q sua situação está nesse ponto também – e muito – pela diminuição radical de investimentos no trabalho da cia em 2015.

o dinheiro no ano da crise foi muito pouco – por volta de 40% do q ganhamos em 2014.

isso fez com q experimentássemos um tipo de comuna, com os cachês equivalentes, já q não faria sentido fazer distinção de salários – o mínimo seria pouco demais.

assim, você com 57 anos de teatro, ganhou a mesma coisa q atores ainda muito inexperientes.

criamos bastante na crise, com menos patrocínio, produzimos como coelhos pra manter o teatro aberto e ganhar bilheteria – pra dar um fim no juízo de deus, de artaud, o banquete de Sócrates, platão e zé celso, navalha na carne, de plínio marcos, com direção de marcelo drummond, q estreou no sesi num festival, o festival de música das bandas do oficina, a segunda dentição da universidade antropófaga e mistérios gozosos, a partir de o santeiro do mangue de oswald de andrade – estes dois últimos como parte do projeto oswaldianas, teato na cidade seca sobre rios, patrocinado pela petrobras.

os espetáculos, desde os sertões, tem uma multidão na equipe – por volta de 60 pessoas.

ainda não caiu a ficha d q o trabalho é muito caro e valioso. exige dedicação, e iríamos muito mais além se tivéssemos condições de pagar bem ao time q não só monta e atua nos espetáculos, mas está ligado no tudão, na manutenção do espaço, na concepção da expansão urbana, na continuidade do projeto de lina bo bardi e da linha estética da companhia, q existe desde 1958.

a petrobras tem sido muito importante pra cultura,  e é a cultura é q vai fazer a reciclagem da empresa, passando do petróleo, em fim d Éra, pra produção d Energías renováveis.

o patrocínio da petrobras é muito importante, aliás, fundamental – é uma base de investimento q sustenta a continuidade do trabalho, mantém o fogo aceso do núcleo da companhia, como aquelas chamas eternas das refinarias – é muito bonito ver de vários pontos da baía de guanabara aquelas torres piras da refinaria d duque de caxias.

mas, além disso, precisamos de plataformas, navios…

da petro vem o patrocínio d manutenção da companhia, que por 11 anos seguidos vem garantindo a continuidade do nosso trabalho – é o q nos permite não parar.

mas não é suficiente para manter a companhia o ano todo + a montagem de um espetáculo inédito + manutenção do melhor teatro do mundo segundo o jornal The Guardian. 

untitled

além do prédio do teatro oficina, q é de propriedade do estado de são paulo, mas tem todas as despesas – água, luz, limpeza, reparos – inteiramente mantidas por nós, posseiros, a cia mantém a casa de produção, um depósito de objetos de cena na rua são domingos, um acervo de figurinos na rua major diogo, e um depósito no sacolão, embaixo do minhocão, para grandes objetos.

além da montagem dos espetáculos, existe uma despesa mensal para esse acervo e para o time q realiza esse trabalho.

isso sem falar na necessidade de treino dos atores e cyberartistas, nos trabalhos diários de música, dança, tecnologias, estudos…

recebemos em 2015 R$ 1.000.000,00 do nosso patrocínio de manutenção da petrobras, o q é muito dinheiro, mas imaginem quanto custa idealmente um ano de trabalho:

equipe: R$ 2.160.000,00 

60 artistas x  12 meses x RS3.000,00 (um valor médio mínimo q possibilitaria dedicação exclusiva)

manutenção dos espaços: R$ 360.000,00

R$30.000,00 x 12 meses (aluguéis d depósitos + contas de água, luz, telefones, internet, funcionários de limpeza e zeladoria, etc…)

produção da montagem de espetáculo inédito: R$ 200.000,00

(gastos com arquitetura cênica, figurinos, material gráfico, montagem e equipamentos de luz e vídeo, gastos com lâmpadas de refletores e dos projetores audiovisuais, manutenção de microfones sem fio – q são muitos pois o elenco é gigante…, investimento em mídia paga…)

estes três itens somados dão R$ 2.720.000,00

e não contamos viagens com os espetáculos (as quais exigem adaptação de espaços, locação de equipamentos e transporte, alimentação e hospedagem pra 60 pessoas), nem gastos com a produção de espetáculos do repertório…

por tudo isso, precisamos de outros patrocinadores como a petrobras e de investimento direto, como as instituições de arte do mundo inteiro recebem apoios inumeráveis de mecenas generosos, q pagam pela existência daquele valor cultural.

sampã, 13 d fevereiro,

camila cacilda mota + TyZÉRias

tirezias_nancy_mora1

foto: Nancy Mora

Sou Cégo d’Teat(r)o

q vê

da Terra do Bixíga

onde Teatro

em se plantando

sempre deu

a quem se dá 

mas…

q está $ercado

por $oldados Engravatados Executivos Executores

do Holocausto Repetitivo

do Direito Romano de Propriedade

q diferença existe

entre fundamentalistas destruidores de Santuários,

cortadores de Cabeças

y

os Fundamentalista$ da Especulação Imobiliária Néo Bandeirantes:

Caçadores Destruidores de santuários y cortadores d cabeças q não querem ser capturadas?

 

Estes pretendem destruir o último pedaço de terra livre do Centro d SamPã.

Pra isso tem de Cortar Cabeças

d Artistas,

d’ Autoridades d Defesa do Patrimônio,

d’ Jornalistas das Mídias, Midiinhas, Midionas,

d’ Cabecinhas, Cabeçonas

q não cabem nas suas toscas estruturas de captura:

no seu Carandirú Pobreza

“Trê$ Torre$ Prisões

Nessa Terra “perdida

há Cabeças Coroadas de Héras, se Fazendo ,

se dando às mitolo(r)gias

q os povos noite y dia

criam,

cantam,

dançam,

na terra

no ar

pássaros voadores

des-assombrando

pensamentos livres

q vôam

mas

q sabem se erguer do chão

com seus Bastões,

Tyrsos Báquicos

y conceber suas estratégias

num piscar da voz da

Marechal de Nossa Tropa:

Madame Morineau:

O Teatro Recuou, Meu Filho! Ohpuf …realmente…

No, No, No, assí no dá …

 

Ah! E aí, sentir o desejo de passar do “recuo” ,

ao AVANÇO

com seu Bastão de Bacantes y Satyrxs Guerreirxs

y

proferir na própria carne

a palavra mágica Ham-let:

AÇÃO

Estes tem o Phoder de enfrentar estes Exército$ de Pentheus y Drs. Abobrinhas

 

12694738_964717516941906_8190348400992203303_o

foto: Mário Pizzi

 

Ió! Os Artistas de Todas as Artes

 

Ió! Gente q phala pra Gente,

Na língua direta de Gente,

 

Ió! Dytirambistas (todos os Tambores)

 Músicxs

Arquitetxs, Urbanistxs, Cientistxs, …

Façam esse favor pra todos…

Mas a Protagonização da Arte Aglutinadora Física dos Teatros onde Todos

os Teatros são nossos Teatros

é, quer se queira ou não,

a gente de teatro

mesmo combalida.

É só se apoiar no Tyrso d Dionisios y ficar de Pé Dançante

Somos peões satyrxs de SamPã

da Tropa de Choque Cultural q pode Acordar

no Bixiga

não só o Brasil,

mas o Mundo.

 

IÓ! Amantes d Dionizios do Mundo Inteiro,

Vamos criar uma Orgya da Arte d Teatro do Bárbaro Tecnizado Total da Terra!

 

12694606_964665023613822_727215520477211287_o

foto: Mário Pizzi

 

 

IÓ! Estrategistas d todas as Artes

 

IÓ! Amantes do estar em cena com o Público diretamente

 

IÓ! Anônimos nas revistas caras, esbanjando poder de aventureiros teatrais nos teatros de rua, cultivando as Metrópoles engasgadas quase subterrados;

 

IÓ! Cooperativas de Teatros q se tornam Comunas Teatais

 

IÓ! Celebridades de Televisão q tem Sangue de Teatro no Corpo

 

IÓ! Poder da Imaginação, d Atrizes, Atores, Palhaços do Brasil y do Mundo

 

Muitos me perguntam

como ajudar” ?

 

Não, ajuda”, não,

não tem “ ajuda

nem dar uma força,

mas atuar

até se espatifar

pra poder voar

 

IÓ! É o Xamado Báquico

À Massa d Sangue dos Corpos em Possessão q vem se juntar aos Posseiros impedindo os Carrascos da Propriedade Privada

É o q

TIRIAS

Vê hoje

 

Terça-Feira GORDA DE CARNAVAL DE 2016 em SamPã

Todo processo catártico implica em uma pequena morte do corpo, como um orgasmo, onde exaustão e prazer são componentes quase indissociáveis. A partir dessa falência, desse esvaziamento, o corpo está pronto para um renascimento. O ser humano necessita de experiências catárticas e as encontra em festas religiosas, em terreiros, nos bailes funks onde se dança a noite toda, nos ensaios de escola de samba que varam as madrugadas e até na saída semanal para balançar os esqueletos em festas como o Santo Forte do DJ Tutu. A longa duração é característica comum à todos esses eventos e nunca é questionada, pois é condição do processo de transformação por que passa o corpo. A catarse é fundamental, é necessidade física! A apatia a que é submetido o ser humano muitas vezes gera violência pois substitui uma experiência estética que produz catarse e a violência é também uma experiência física, que supre a falta de transformações indispensáveis ao corpo Alma.

As peças Cacilda!!! e !!!! têm longa duração, por volta de 5h30 cada uma. São extenuantes e propiciam ao público a possibilidade de uma revolução nos corpos semelhante à provocada pelas baladas, mas são de outra natureza. São espetáculos de teatro, uzynas geradoras de energia e transformação criadas por um coro, banda, tecnologia, uma pequena multidão da Cia Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona que há 55 anos tem como uma das bases de seu trabalho o cultivo do poder humano, das permanentes transformações do corpo.

É catarse com roteiro: começo, meio e fim para as infinitas absorções de cada sessão.

Teat(r)o é atuação ritual com o corpo.

Não foi a toa que Lina Bardi criou cadeiras desconfortáveis em seus teatros: ela desejava as pessoas das multidões com a coluna erguida. Nas cadeiras do Sesc Pompéia apoiam-se em colunas vertebrais, totalmente explícitas no mobiliário. Claro que há pessoas que precisam de um apoio mais confortável, Haroldo Campos ia ver nossos ritos levando um travesseirinho para sua coluna e uma garrafa d’água, o mais esperto exemplo para os que se queixam da falta de conforto.

Nós sempre chamamos o público a vir atuar conosco, pois atuamos com as pessoas do chamado público e não para o público.

O OficinaUzynaUzona  quer cada vez mais música, dança!

O público, quer dizer, as pessoas presentes em nossos espetáculos, têm sempre a possibilidade de entrar na mágica arte da atuação, mas há os que se recusam entrar nas rodas, no coro, na gira. Todos vivem a liberdade de atuar ou atuar vendo, mas perdem um pouco com o poupar de seus corpos, deixam de viver o rito no livre espaço do  “anarquista coroado”

Camila Mota

Imagem

Camila Mota interpretando Cacilda Alma em “Anjo de Pedra”, peça da peça de Cacilda!!!! Fábrica de Cinema & Teatro.
Fotografia de Jennifer Glass

 

80 centímetros de escombros da demolição de todos os Prédios do Grupo Silvio Santos cobrem o chão do Entorno do Teat®o Oficina:

sambaqui_entulho

Num local privilegiado do Terreno surge uma formação topográfica que se eleva como o Monte Pascoal que Cabral viu primeiro no Brasíl.

No início, a interpretação era a de um “Monte de Destroços, um monumento da Autodestruição que a Especulação Imobiliária faz em SamPã.

Era um TABÚ

Mas na encenação do Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade

“MACUMBA ANTROPÓFAGA”

criou-se uma Cena em que o Elenco e o Público semeavam juntos Girassóis no Monte.

Então …

TABÚ fez-se TOTEM

e demos o nome ao MONTE DE :

SAMBAQUI

(“tamba’kï” vem do tupy – monte de conchas: depósitos construídos pelo homem, constituídos por materiais orgânicos, calcários e que, empilhados ao longo do tempo, vem sofrendo a ação de intempérie; acabaram por sofrer uma fossilização química, já que a chuva deforma as estruturas dos moluscos e dos ossos enterrados)

sambaqui_girassois
Este SAMBAQUI no entorno do Oficina traz toda memória de 33 anos da Epopeia de Luta de humanos entre o X da questão do Planeta Terra:

Terra Vazia a ser cultivada no Centro Periférico de SamPã: o BIXIGA

X

a Construção vencida de um Shopping e depois de Torres enfartando ainda mais a Metrópole 

Sufocados na ameaça da Seca y do Calor de Fevereiro  nos dias 8 y 9/2/2014 o Oficina Uzyna Uzona ritualizou toda a encenação do 3º e o 4ª Episódio de CACILDAS

XAMÂNICAMENTE

XAMANDO XUVA

UM CARRO PIPA FOI COLOCADO AO LADO DO SAMBAQUI para

. molhar o VERDE quase seco que OFICINAUZYNAUZONA Cultiva no Entorno, ocupado por Comodato proposto por Silvio Santos até que se dê a TROCA que ele mesmo propôs por outro terreno do mesmo Valor em SamPã

IMG_9528_1
. receber o Público e, nos intervalos das peças, festejar sua presença com Banhos do CARRO PIPA, Carnavalizando este Verão tão lamuriado, transmutando-o em FESTA

IMG_9455
Tal era a FÉ CÊNICA do Elenco e do Público que os Céus ficaram negros – Trovões TuPãnicos soaram e algumas gotas d’água caíram dos Céus…

IMG_9497
Quando esse fenômeno aconteceu os atuadores reinterpretaram suas Cenas focando seu Círculo de Atenção ao Céu Escuro e então apuraram seus ouvidos e olhos para as pequenas gotas que caíram…

…e a FARRA DA PIPA devolveu aos que lá estiveram o gosto desta que deve cair esta semana: A TEMPESTADE

IMG_9381

Fotografia: Jennifer Glass

 PróspÉros da  “Tempestade “de Shakespeare me faz  descobrir :

 O Valor Ouro da Arquitetura do Teat(r)o Oficina & Entorno Vazio na Metrópole nfartada de SamPã

O tanto quanto o Valor dos  Ritos Teatrais que lá são criados e principalmente dos que nos fins destas Semanas Pré Carnavalescas de Fevereiro estão sendo “brincados” pra esquentar o Carnaval o ano Inteiro!!!!!

Desde que os Espetáculos Rituais de Cacilda !!! A Fábrica de Cinema &Teat(r)o excursionaram em Santo André e Piracicaba venho percebendo que este trabalho sai da Ilha Conhecidas fascinando aureamente todas as gerações.

É um Eterno Rertorno á Outra Era do Teat(R)o Total, Ritualizado nos Trópicos do Mundo  no “Pais de dentro” dos serestando sertões de todos índios tecnizados do Planeta.

Vejo pontes-viadutos-rios-mares no “Carronaval de Estádio de Dionysios” nómade e anfíbio percorrendo estradas-Rios- como os “Show Boats “ do Missisipi  e dos Mares no “El Durasno” do Navio de “Serafim Ponte Preta” do Oswald.

Travessias encenadas em Orgias Teatais entre Continentes.

Quanto Vale em $$ a Obra de Arte do Teat(r)o criado por Lina Bardi & Edson Elito? E todo o Corpo Omnipresente dos que atuaram e atuam vivos e mortos neste Terreiro Eletrônico incansavelmente surpreendente ?

Quanto Valem os Espetáculos Rituais que estamos fazendo pra fazer a Ilha Oficina se comunicar com todas as ilhas e continentes e trazer pra ela e seu Entorno Vazio o Teatro do Mundo ?

   Ian é o menino que “está”  mais ator de todos nós com sua decisão na Ágora entre o Peito da Madona Divina Diaba CaSylvia e a Revista Colorida “Tico Tico”. Ele mostra á todos /á tudo/a vontade e a contravontade que precede a Escolha de sua decisão pela revista infantil “Tico Tico” presente na minha Infância e na de Cacilda Becker.

ACAUÃ CORIFEU  deste valor novo que percebemos ( tema para se trocar com os Coros do Oficina Uzyna Uzona sobre qual a melhor forma de CORIFEAR A ABERTURA DESTAS 2 PEÇAS)

FRED CONTUNDINDO MAS JOGANDO COM TIPÓIAS DE DIFERENTES CORES PRA CADA PERSONAGEM: Bill PM atacado por vândalos traz uma tipóia de tecido Camuflado depois Samuka atacado pela PM Para Militar que atacou “Roda Viva”, renascendo para a  luta  no momento da Corda acrobático que não poderá ser feito nesta temporada: O  Coro pode atribui a mesma densidade vertiginosa do Salto da Corda quando ele se ergue ferido após o ataque de “Roda Viva”, sendo Maurício o Cafetão de Cacilda  contundido com porrada de Zona- o mesmo PM que concebeu  Cuca com Tito e Céli.

 A Direção para os dois espetáculos é a de CELI:

“Ah! Vechio teatro italiano. Ai, Velho teatro português…

Eu quero Autoridade pra acabar com isso

Policial se for preciso…Minhas peças duram dez minutos a menos”

podemos reduzir na ligação elétrica dos ritos mais de meia hora se nos atirarmos á ação

    O Critico da Folha Márcio Aquiles tem razão na lentidão e nos buracos. O texto agora somente começa a entrar na possibilidade dos atores, músicos, iluminadores, sonoplastas…enfim toda a Maquina de Desejo PluriMídias de mais de 60 pessoas que estabelece corrente elétrica contínua através das réplicas espertas que vão reduzir o que ele chama dos 300 minutos de tempo da peça. Não sei se ele conta o  intervalo de 30 minutos em que as pessoas descem até o Entorno Tombado para comer e beber nas muitas Tendas lá fora. Algumas pessoas ficam ainda realmente extenuadas como ele ficou –mas uma grande parte sai extasiada –com a energia vital renascida. Ele vem de um pais chamado “Folha de S/P” e se sente um antropólogo viajando em um pais desconhecido. Tem dificuldade a viajar no não dito, tanto que considera “desempenhos beirando a negligência” o de Marcelo Drummond e o meu. Toma como negligência a incarnação que Marcelo faz de Walmor Chagas – um ator q chocava pela simplicidade e o não  dito –vejam se nesta foto –pra quem sabe- se Marcelo incorpora totalmente Walmor ou não.

WALMOR MARCELO DRUMMOND OURO PURO EM CACILDA !!!

WALMOR MARCELO DRUMMOND OURO PURO EM CACILDA !!!

   COMO TORNAR VISÍVEL A CENA DO FILMINHO DE 8 milimetros de Céli? Decidiu-se colocar um pano preto no Janelão do Lado de Fora – Pois o Sol do Horário de Verão impede o publico a desfrutar o delicioso documento que fez nascer a Vera Cruz.

Porque cai em “Entre 4 Paredes” e não se entende bem o fluxo continuo da filosofia de Sartre? Marcelo sacou nos comentário – é porque os atores põe o desespero na frente das phalas filosóficas de Sartre – isso encobre o sentido reflexivo desta peça de ouro do repertório mundial do Te-ato.

Porque foi tão rápida a cena de Desgraças de Uma Criancinha? Os Palhaços perderam logo o Jogo? Os dois Palhaços que jogam o Bebê de Cacilda como uma bola de basquete com o Público não haviam percebido que a chave da cena é a duração e a família realisticamente não deve teatralmente interromper o jogo, mas deixar acontecer até o publico começar a ter o prazer que o Bebê está  sentindo em ser uma Bola de Basquete num Jogo com a Multidão e 2 Palhaços: Alessandro e Bruno

  O CONCURSO DE MELHOR  CÚ DA COPA NO MOMENTO EM QUE AS RUAS NÃO DESEJAM DEVE SER PRECEDIDO DE UM CONCURSO DO MELHOR CÚ DO PÚBLICO PRESENTE, COMO OCORRE TAMBÉM NOS CONCURSOS DE MIS UNIVERSO: PRIMERO TEM MIS  BRASÍL, MIS CHINA ETC…  ATÉ SE CHEGAR À MIS UNIVERSO.  AÍ VALE  TAMBEM  UM CONCURSO DE CÚ DO PÚBLICO QUE BROTE NATURALMENTE DO CONCURSO DA CENA ANTES DE FORMAR O BONDE DO BUNDÃO.

JULIANA A BURGUESÍA ESTÁ MUITO BEM ME DIZ QUE ZAMPARI JOHNNY ARANHA ESTÁ FAZENDO MUITA PAUSA NO CANTO. SERÁ PORQUE ESPERO A ENTRADA DA HARMONÍA? PERGUNTO SINCERAMENTE ENSAIAMOS E EU FUI MAIS EXPERTO, DEI UM SALTO.

AS MALAS PESADAS  DE OURO PODEM E SERÃO ENVOLVIDAS EM PAPEL OURO QUE O BICHEIRO ALESSANDRO ENTREGA Á MANDO DA BURGUESÍA PARA A CAFETINA LADY FIFÍ.

O INÍCIO DA ENTRADA DO CANTO-DANÇA-ROLEZINHO  “LITANÍA DOS POBRES “ DE CRUS E SOUZA EXIGE PREPARAÇÃO. SER OUVIDO.TALVEZ HAJA MICROFONES DESLIGADOS NO ATAQUE DO 1º VERSO.

  NA  SAÍDA DO ROLEZINHO VIRADO MAR DE SANGUE NEGRO DE ILHA BELA A MIXAGEM  DEVE REVELAR A  BELEZA DE ILHA BELA: UM ATORATRIZ MICROFONADO LEVA FORA “A ILHA BELA” E DIZ CONTEMPLANDO–A: “Como é Bela a Ilha Bela “

Beggar Opera 1744 Reinava Charles !

ZAMPARI JOHNNY ARANHA

Então nossa história acaba aqui.

No século dezoito Sua Majestade the Queen

fechou todos os teatros

tomou a mesma decisão

O destino desta peça é Proibição!

  NAS ÚLTIMAS PALAVRAS DE MAC NAVALHA SERGIO CARDOSO À LUCY, SUA ESPOSA DE NEGRO, DEVE ESTAR MUITO BEM ILUMINADA COMO UMA ENTIDADE FORTE DA VIÚVA

  O FINAL DA FALA DE ZAMPARI ASSINANDO A ENCENAÇÃO IMEDIATA DE “ A IMPORTÂNCIA DE SER CARETA” REQUER UMA CANETA /A MESMA Q SEGUIRÁ POR TODA FASE DO TBC: A CANETA DE ZAMPARI 

A IMPORTÂNCIA DE SER CARETA

OS DOIS BOFEZINHOS INGLESES PODEM  SER MENOS REALISTAS E MAIS DANDYS E JOÃO SERGIO CARDOSO GLAUBER FALAR PRA FÓRA E MAIS ALTO EM  TEMPO SÉRIO DE COMÉDIA.OS 5 ATORES QUE A FAZEM DEVEM FORMAR UM QUINTETO  PHODEROSO /UM TYAZO, E O DJEAN DEVE ATUALIZAR-SE NA SONOPLASTIA. ZÉ DARÁ  AS MARCAS, AÍ O TYAZO VAI SE SOLTAR E ESTA CENA  VAI VIRAR JÓIA DE RHEAL VALOR –OSCAR WILDE EXIGE A PRECISÃO MATEMÁTICA-COREOGRÁFICA DA COMÉDIA

 

 O ANJO DE PEDRA É OURO PURO VALOR

VALE BILHÕES CHEGA AO IAN O BEBÉ IAN Q ESTÁ O MAIOR ATOR DA CIA

 

 O “PAIOL VELHO” É O APOGEU DA LIGAÇÃO

TODO ELE NAS PULSAÇÕES DE CACILDA  LINA + RITMO, MAIS RÁPIDO

 

  FRED JOÃO CARLOS : QUE PRATICA COISAS COMO PASSAR A PROCURAÇÃO DO PAIOL Á TÔNÍCO ACAUÃ POR ESTAR ABSTÊMIO!!!! COMO DESCOBRIU  O TRANS-SEXY FRED NO DOMINGO PASSADO, DEVE ENTRAR LOGO DEPOIS QUE CACILDA COMEÇA A DAR O PEITO Á BASTIANA. E GASTOU TODO $$ NÃO NA SAUDE MAS NO ORTOPEDISTA E NA MEDICA()) DE REABILITAÇÃO QUE NÃO SEI COMO CHAMA ESTA ESPECIALIDADE

  RITMO NO “VEW POINT”

NO 1º ATO NO ENCONTRO  DE CACILDA CÉLI MAIS ESPERTEZA NO RÍTMO

A MESMA LENTIDÃO A SER SUPERADA NA  A DANÇA DO CORO DE 68: CORPOS REVOLUCIONÁRIOS PRÉ DESBUNDE QUE VEIO DEPOIS DO AI 5  E FOI MAIS REVOLUCIONÁRIO QUE A LUTA ARMADA. O CORO VAI TRABALHAR COM O COREÓGRAFO URBANISTA DANIEL KAIRÓS TRAZIDO PELO DANÇARINO QUE TEM TREINADO OS MENÍN(O)AS   RODRIGO ANDREOLLI – O DANÇARINO É O SER MAIS CONCENTRADO NO MOVIMENTO DE CADA FRACTAL DE ENERGÍA – DESEJO PRO CORO A BIOMECÂNICA QUANTICA DO CORO- A DANÇA PUXA O TEATRO DO FUTURO PRESENTE ARCAICO TECNIZADO.

KITTY PUTA CACYLVIA  E  TODAS AS OUTRAS VALOR OURO

O TYAZO TODO VAI SE EMPODERANDO FICANDO PHODEROSO NO MOMENTO QUE VALORIZA SEU PHODER CÊNICO Y PESSOAL

OS MULTIMÍDIAS CONTUNDIDOS PELA FALTA DE UMA CAMERA E DESLIGAMENTO DOS CABOS BRILHAM ASSIM MESMO

SOM E LUZ PODEROSAS ILUMINANDO ESTE VALOR

CIDA É 10, ASSIM COMO AS MAQUIADORAS AMANDA & PATRÍCIA

A CONTRA REGRAGEM TEATRALÍSSIMA DO VALIOSO CORPO TEATAL DE OTTO E LUCAS NEGRO LINDO INGÊNUO ATÉ CERTO PONTO DO PLANALTO CENTRAL DO BRASÍL

DESCOBRIR O OURO

E DIVULGAR COMO BETO ESTÁ COMEÇANDO A PERCEBER

ODE ÁS CAMAREIRAS

AO JACARÉ E SUA EQUIPE

VERA BARRETO LEITE A MANÉCA CHANEL VERA VALDEZ ARRASA COMO MADAME MORINEAU E DONA MARIANA CEZARINA. OURO LIQUIDO NA MEMÓRIA DE UM CORPO MAIS SEXI QUE KAZUO OHNO

PHODER Á MULTIDÃO CATHERINIKA

ZECELSO

Foto de Jennifer Glass

Foto de Jennifer Glass

To all people from the city of Sampã in its 460º anniversary

To the lovers of the living world culture

To all who create and fight in the brazylian and international theater

To people who are have been and will be at the Oficina Uzyna Uzona Thea(c)tre either as public or as member of the cast from all generations,

The ones that came

The ones that have been coming for more than 50 years of radiant life of 520 Jaceguay st – Bixiga neighborhood – city of Sampã

To the ones that will come

To the ones who have never heard about this luminous spot called Oficina Thea(c)tre and about its surrounding land, which received the status of protected artistic and historic patrimony, status which has been disregarded by mayor Kassab’s administration through the COMPRESP (Council of Protection of the Historical, Cultural and Enviromental Patrimony of the city of São Paulo) at the municipal scope and also by the current government of Geraldo Alckmin at the state’s scope

To all who granted Oficina Thea(c)tre and its surrounding land the status of protected artistic and historic patrimony through IPHAN as the National Institute of Historic and Artistic Patrimony

To Silvio Santos, who right after the granting said to us that because of the national patrimony status he could no longer do anything in his land and he wished not to get in the way of the company or the company to get in his way, therefore proposing the exchange of the land by another one of the same value owned by the federal government anywhere within the city of São Paulo.This proposal was made official by the Silvio Santos Group in a letter of intentions, which us, from Oficina Uzyna Uzona theater association, have addressed to the ministry of culture, which has undertaken the process

To Guilherme Stoliar, president of Silvio Santos Group, who in a brotherly lunch at SBT’s studios [owned by Silvio Santos Group] conceded us a bailment for the occupation of the Oficina’s protected surrounding land, renenewable until the conclusion of the proposal of land exchange which was accepted by the ministry of culture, that during the administration of Marta Suplicy not only was able to find a suitable land of the union, but also is currently working for the acceleration of the exchange

To all public powers

President Dilma Roussef

Mayor Fernando Haddad

Governor Geraldo Alckimin

Senators

Federal deputies

State Deputies who at the culture comitee have given their wholly support, above their parties, in the conquer of this colective dream,

To the private powers,

WE COMUNICATE:

The ceo of “RBV- Residencial Bela Vista Realty Enterprises ltd”, which is part of the Silvio Santos Group, Eduardo Velucci, enters the scene expressing the impacience of us all and changes the game: by not renewing the bailment contract that for over 3 years allowed our occupation of artistic cultivation in the land of our protected surrounding area.

I thank with all my heart the beloved Eduardo for his corageous action. I feel he did it in order to speed up the solution of a fact that is leaving a urban scar in the center of the city of São Paulo, that won’t get resolved for over 33 years.

He told Carila Matzembacher, one of our scenic architects, that we loved art, while he loved money.

We don’t agree with him, because we love art that is extremely valuable and productive and by generating money frees itself of these obstacles that we have lived with for 33 years.

Eduardo, for his love of money, refuses corageously to give continuity to the bailment conceded for 3 years by the president of the group.

Nevertheless, this is the limit situation to which we got after 33 years

We, for our love of art, and also for the necessity of money, will nowin this 2014re-open on january 25th two plays of the “cacildas” series

Cacilda!!! – Glory at the TBC and in 68 here and now, on saturdays and

Cacilda!!!! – Movie and Theater Factory, on sundays

We offer the public the opportunity to see in sequence the episodes 3 and 4 of the maxi series in five weekends from january 25th to february 23 th .

These two plays, like others that we’ve staged, happen in the Oficina Theater and in its protected surroundings.

We declare to everyone that we will be staging at Oficina Theater’s space, which forms a whole with its protected surroundings.

These plays come to life through the protagonization of Cacilda Becker fullfilled by 3 great actresses and one actor Camila Mota, Sylvia Prado, Nash Laila and Marcelo Drummond / a chorus of protagonists / band / video / sound / stage managers / maids / cleaning staff – work of 60 people on the stage.

It is the theatricalized history of brazylian theater from the south hemisphere devouring the theater from all times and hemispheres of the planet

Silvio Santos, Dear friend Velucci,

Let’s come to an agreement for this season, for we got caught by this good surprise

3 decades of disagreement and 3 years of agreement until this rupture now, when we enter the 4th year of concession and the process of exchange is on its way

33 years ago when the Silvio Santos group wanted to buy the space of Oficina Thea(c)tre, this campaign was launched, with huge support from the public, from the artists and all their media and from the media itself for the Oficina to build its space, designed by the architects Lina Bardi and Edson Elito. This project has not yet been completed and for this to happen it is crucial that in this year of 2014, Lina Bardi’s centenary, that the matter of the surrounding land gets resolved.

In a play i’ve written in 1958 and staged by Oficina, “The Incubator”, the protagonist who wanted freedom from the family’s incubator that imprisioned him in the mini-state called family proclaims:

“One day will be the day and this day is today”

Which means

THIS IS THE D DAY

It is the moment of the free cultivation of these lands of Bixiga for them to give a jump to fullfill what they are  able to as sacrate land of the Thea(c)trical art raising up with themselves the Bixiga neighborhood and the world theater.

We’ve been pregnant for 33 years without being able to set free the productive and creative forces which have been acumulated for more than 55 years in a never seen cultural expansion.

Nobody stands anymore what is already being called “squable” when the matter in question is the most obvious problem of the world:

Does the land belong to the ones who explore it or to the ones who cultivate it?

On the 25th, we begin to count each D day of this season of acts of theater, making theater return to its destiny: to be a political power in itself.

For this reason, exceptionally, on this weekend of São Paulo city’s anniversary, we, from the Oficina Uzyna Uzona Thea(c)ter Association offer the two shows to the city, doing the both shows for free on the days 25th and 26th of january.

The protagonists of the solution of this impasse are the people from the crowd called public.

We convocate first those protagonists and also the ones who are members of the parts involved in this feud:

The RBV
The Silvio Santos Group
The Ministry of Culture
The municipality
The state
The IPHAN
The COMPRESP

For a never seen before theatrical catarsis

May a storm fall above us all living mortals, for us to find the most giving. The most creative to our metropolis of Sampã right now! In the present future!

José Celso Martinez Corrêa
President of the Oficina Uzyna Uzona Thea(c)ter Association

MERDA

Amado Tyazo,

como sobrevivente estou co-movido pelos auto-reconhecimentos como filhos nascidos da Origem deste Cosmos. Me sinto um filho dos rituais dos Tupys, das Senzalas, de Todos os Teatros do Mundo de todos os tempos, de Shakespeare, Tchekov, Nelson Rodrigues, Cacilda Becker, Oswald de Andrade, Brecht, Schiller… Neles nos in(s)piramos há 55 anos e assim nasceu a Bigorna.

Stanislaviski nos deu a Ânima,
Brecht o Distanciamento,
Oswald a Cozinha
e em vez do “ser ou não ser” – magnífico!, mas soa abstrato – nos deu o corpo do ser estando:
“Tupy or not Tupy”
Retorno ou não ao Corpo Arcaico?!
O ser estar o corpo
Corpo Índio
tecnizado, vibrando no Cosmos, pés no corpo do ser vivo q xamamos Terra
os Conselheristas e Euclides da Cunha nos deram a defesa deste ser-tão.

“Vir a ser Corpo
Incorporador
para não servir
ou ser Vil”

No início foi “A Ponte”, de Carlos Queiroz Telles,
“uma ponte de carne entre nós e vocês…”
e Vento Forte para um Papagaio Subir,
“dá linha dá linha moço q o vento vai levar…”

Abriram-se as palavras…
1ºs escritos de uma Epopeia mais q consagrada
uma Epopéia Sagrada.

Estas peças foram dirigidas por outro sobrevivente, Amir Hadaad

Musas y Musos nos inspiravam a todos em 1958:

Atrizes:
Dora Miari
Albertina Costa
Alzira Cunha

Atores:
Luis Roberto Salinas Fortes – Filósofo Galã Ator e Redator de nossos primeiros textos
Marcus Vinícius
Caetano Zamma – cantor ao Violão

Música – descobri agora – foi a “Origem da Tragédia no Espírito da Música” a que antecedeu a criação de peça “Vento Forte para um Papagio Subir”. No início foi a 1ª Cantata, na Rua Jaceguay 520 – mesmo local onde encontra-se o Teat(r)o oficina hoje
mas no Teatro Espírita: “Teatro Novos Comediantes”, alugado por nós por 3 dias.

Ainda não chegou o tempo do escorpião Oficina Uzyna Uzona morder a própria cauda, talvez nunca acontecerá, será talvez um Etherno Escorpião: Amor da Cabeça aos Pés. Libido de Escorpião Corpo Todo y Antenas.

Cacilda!!! está em seus últimos dias de apresentação
e todo o elenco d’Ela hoje
escolheu-se a si mesmo como paridos deste primeiros Gen
através de belos emails.

Acima de tudo por isso
hoje torna-se um dia sagrado
q sinaliza uma Semana também Sagrada
onde acontecerão 3 Espetá-Culos:

_Dia 1º de Novembro, 6ª Feira.
Dia de Todos os Santos & Santas Demônios Demônias
Vegetais & Minerais & Mamíferos & AryHélicos

_Dia 2 de Novembro, Sábado.
O Dia dos Mortos e do TERRITÓRIO d’onde nascemos e morremos,
somos plantados,
ou tornados cinzas que se espalharão nos ventos e
irão dormir nos jardins do Oficina Máquina do Mundo do Corpo Sem Orgãos. Dia de coroação dos Mortos e Vivos com Hera,
do Teat(r)o de Dionísios,
que tem misteriosamente
muito a ver com estes dias e noites.
Sempre os teatros lotam e
nestes dias acontecem Rituais Te-atais Ferventes

_Dia 3 de Novembro, Domingo.
Festejamos já o início das despedidas de “CACILDA!!!”

Esta semana toda será dedicada aos nossos 55 anos,
a todos Artistas – Técnicos – Público que estiveram conosco
em muitos momentos destes 55 anos
deixando o vestígio forte de suas Almas-Corpos
e aos que agora dão suas apaixonadas Vidas na Arte
a “CACILDA!!!”, que assim começam a Cerimônia de Despedidas.

Dias 9 e 10 de Novembro serão seus 2 últimos EspetáCulos de “CACILDA !!!”. ARIADNE no fio deste fim sem fim… já ensaiando “CACILDA!!!! – A Fábrica de Cinema & Teatro” para estrear no Sesc Santo André, dia 30 de dezembro.

O MENINO SOBREVIVENTE DA 1ª BIGORNA:BIGORNA