É Preciso Salvar o Oficina
Paulo Francis, de Nova York 
26 de Outubro de 1980
 
Estou sabendo que o Teatro Oficina está ameaçado de perder o teatro que será comprado por Silvio Santos. Não quero acreditar nisso.
O Oficina é uma das raras glorias incontestadas do teatro brasileiro, produto talvez o mais versátil e brilhante da revolução do teatro brasileiro entre 1955-1964, seja em autores convencionais, Gorky, Max Fritsch, ou em revivendo um dos mestres do modernismo brasileiro, Oswald de Andrade, José Celso Martinez e companheiros deixaram uma marca que ninguém apagará.

E São Paulo, digo o Estado, a cidade e a imprensa, vão permitir isso? Pelo que vale aqui fica meu espanto e protesto. O espanto é que essa revolução no teatro brasileiro começou em São Paulo e no Rio, quando apareceram diretores como Flávio Rangel, Antunes Filho, Augusto Boal, autores como Jorge Andrade, Oduvaldo Viana Filho, Gianfrancesco Guarnieri, Dias Gomes, companhias renovadas como a de Maria Della Costa, o Teatro dos Sete, Tonia – Celi – Autran, o Arena, o TBC, etc.
Não quero me alongar em nomes e no assunto. Quero é frisar que foi um esforço combinado de governos, do Estado, de jornais (“O Estado de São Paulo” tinha três críticos influentes, Décio de Almeida Prado, Sábato Magaldi e Delmiro Gonçalves, a “Folha”, Paulo Mendonça), que tornou possível essa revolução.
E agora? Isso vai ser entregue ao meretrício (e possível abuso da bolsa popular, nos tais “carnets”) de um mambembe como Silvio Santos, que representa o pior “show business” brasileiro?

A questão, claro, é econômica. O sr. Silvio Santos tem todo o direito de comprar o imóvel., o teatro. O que não é admissível é que as forças políticas, econômicas e culturais de São Paulo permitam que isso aconteça, particularmente quando José Celso Martinez pretendia transformar o local e rua num centro cultural variado.

Francamente, só acompanho política brasileira no que se refere a reflexos no exterior, pouco sei sobre o Sr. Maluf, exceto que é violento em expressar opiniões e posições e que é violentamente combatido. Mas seja ele o que for, não deve fugir da responsabilidade de manter Sâo Paulo no centro da cultura no Brasil. Que são Paulo mate essa companhia, permitindo que Silvio Santos continue reduzindo à miséria a sensibilidade do povo, com um estúdio de TV, fazendo circo, é um escândalo que o Sr. Maluf devia evitar.

Nos tempos mais negros da ditadura o Oficina certamente foi visado como inimigo. Bem, e quem não foi? E na revolução do teatro brasileiro havia um forte componente de esquerda, mas isso nunca impediu “O Estado de São Paulo” de prestigiá-la pelos valores culturais que trouxe ao Estado e à cidade. O Sr. Maluf terá menos grandeza que os Mesquitas?

Todo mundo me fala da desagregação da sociedade brasileira. Mas não quero acreditar que tenha chegado ao ponto em que São Paulo se permite despejar uma das companhias mais produtivas e experimentais que o teatro brasileiro já produziu. Seria uma vergonha para a cidade, para o Estado, para os paulistas, para nós todos.

Se o governo não ajudar o Oficina, espero que grupos particulares apareçam e façam a hipoteca que pode salvar o Oficina, que afinal é uma das raras companhias que restam de um movimento teatral que deixou marca em nossa história. “Vender” o Oficina a um explorador da cabeça do povo é uma traição. É, em verdade, uma ameaça a segurança nacional. Não posso e não quero acreditar que isso vai acontecer logo em São Paulo. Tenho dito
francis

Paulo Francis | Fotografia de Bob Wolfenson

Anúncios

Roda-viva-Sep.01.68

Amado muito Amado Chico Buarque de Hollanda

Hoje foi meu 1º Dia de Folga dos Ensaios de “O REI DA VELA”

com o mesmo RENATO BORGHI, fazendo ABELARDO 1º  

no TEATRO PAULO AUTRAN no  SESC PINHEIROS

q Estreia dia 21, Sábado  y 22, Domingo –

dia de 67 Anos da Ethernidade do Poeta Oswald de Andrade;

reida vela_ensaiogeral Foto-Jennifer Glassreida vela_ensaiogeral Foto-Jennifer GlassHA0B1736
RENATO BORGHI, RICARDO BITTENCOURT E TULIO STARLING | O REI DA VELA 2017 | Foto Jennifer Glass

tive uma SACAÇÃO  muito Forte com VOCÊ ARTISTA  y sua peça “RODA VIVA”.

Saquei q você me chamou pra dirigir esta sua peça por q ela foi inspirada na montagem de 50 anos atrás de “O Rei da Vela”, q você assistiu, encenada por mim.

Assim como na peça de Oswald, em q há muitos Teatros o da Chanchada Tragicômica, O Tetro de Revista, a Ópera, o Teatro da Crueldade de Antonin Artaud,

dentro de uma só peça.

reida vela_ensaiogeral Foto-Jennifer Glassreida vela_ensaiogeral Foto-Jennifer GlassHA0B1954


II ATO em teatro de revista | O REI DA VELA 2017 | Foto Jennifer Glass

Sua peça escrita durante seu sucesso absoluto como Poeta, Músico, Letrista, Cantor, junto ao Público, mas ao mesmo tempo dentro da Engrenagem q você percebeu existir no mundo do Show Bu$ine$$. Você, um garoto, um menino,

nesta peça prodigiosa, entregou, expôs todo o Mecanismo da Crueldade do Marketing q sua pessoa tinha visto y experimentado.

Então, como em “O REI DA VELA”, sua peça mostra os vários, os muitos Teatros Musicais dento d’ÉLA – A JOVEM GUARDA, a MBP, a MÚSICA DE PROTESTO DO SERTÃO DE GERALDO VANDRÉ  y por fim a TROPICÁLIA na COROAÇÃO DA PERSONAGEM JULIANA, NA MARAVILHOSA MÚSICA DO FINAL DA PEÇA.

Marília Pêra e Rodrigo Santiago_montagem paulistana de Roda Viva Foto Cristiano Mascaro
Marília Pêra e Rodrigo Santiago | montagem paulistana de RODA VIVA | Foto Cristiano Mascaro

Assim como minha geração em 1967 brotou em plena Ditadura Militar de Castelo Branco, por coincidência emergimos na TROPICÁLIA ANTROPÓFAGA, você deu continuidade à DESCOLONIZAÇÃO DO TEATRO MUSICAL.

Tivemos uma Sorte Imensa! Íamos ter um CORO com 4 pessoas, mas no dia do Teste, uma multidão ocupou o Teatro Princesa Isabel, em q os Funcionários, todos Negros, vestiam uniformes Inspirados na Pintura dos Escravos  de Debret.

Esses jovens traziam no Corpo todas as Revoluções: a Política Anárquica, a Sexual, a Alimentar, a Ambiental, a das  Drógas Xamânicas, a das Mulheres, dos Gays, a da Liberdade, Igualdade, Fraternidade, enfim, inumeráveis revoluções. Tinham a Competência para o q desejam dos Jogadores de Futebol. Eram um TIME.

coro roda viva_68

CORO DE RODA VIVA, 68

Por isso não  respeitavam Palco y Platéia; tocavam nas pessoas do Público como no Carnaval, no Candomblé, na Umbanda… enfim, TRAZIAM DE VOLTA DEPOIS DE MILÊNIOS O CORO DA TRAGÉDIA GREGA.

Séculos y Séculos os Diretores de Teatro como Meyerhold, tentaram em vão, reencontrar-se com os COROS GREGOS. Este Milagre aconteceu na passagem de 1967 para 1968, com o levante telúrico do CORO DE RODA VIVA.

Eles me fizeram a CABEÇA Y O CORPO. Me entreguei inteiramente à Eles.

Eles me fizeram fumar Maconha, q fumo há 50 anos, primeiro sentindo sua qualidade na nossa percepção, na diversão, hoje com 80 anos até como Medicina pras Dores. Me apresentaram  Alucinógenos Maravilhosos: Ayuasca, Peyote, Don Pedrito etc… Hoje não posso mais tomar por q tive infarto em 1984, já tenho Stents y Marca Passo. Os Alucinógenos são Vaso-Compressores. Hoje só posso Vinho y Maconha.

Digo isso porque essas drogas me fizeram criar todas as peças q criei. Depois q lí “A QUEDA DO CÉU” q David Kopenawa ditou em Ianomami pra um Etnólogo Francês

em Paris y só foi publicado o ano passado no Brasíl,  percebi q nós artistas somos Xamãs.

Por isso afirmo: não fui eu q dirigi “Roda Viva”, mas sim o TALENTO DO CORO, COMENDO A  SUA BELÍSSIMA PEÇA , INSPIRANDO A  CENOGRAFIA Y OS FIGURINOS DO GRANDE FLÁVIO IMPÉRIO, OS MÚSICOS DA BANDA Y ATÉ VOCÊ Q ASSISTIA MUITOS ENSAIOS, POIS ESTAVA NAMORANDO A MARAVILHOSAMENTE BELA MARIETA SEVERO!

chico buarque em leitura da peça roda viva
Marieta Severo e Chico Buarque em leitura da peça RODA VIVA | Foto reprodução

SEUS AMIGOS MAIS VELHOS, COMO RUBEM BRAGA Y OUTROS, T ENCHERAM A CABEÇA DIZENDO Q EU TINHA ESTUPRADO SUA PEÇA.

O SUCESSO POLÍTICO FOI TÃO GRANDE, Q O CCC ATACOU EM SAMPÃ y O EXÉRCITO FEZ O MESMO UM DIA DEPOIS DA ESTRÉIA EM PORTO ALEGRE.

O ZUENIR VENTURA , ESCREVEU Q O AI 5  INSPIROU-SE NO SUCESSO INSURRECIONAL DESTA PEÇA. HÁ REALMENTE NO TEXTO DO AI 5 A PROIBIÇÃO DE FREQUENTAR CERTOS LUGARES, DITOS CULTURAIS.

destruição do ccc_reprodução
Destruição do Teatro Galpão em São Paulo pelo CCC | Foto reprodução

Fachada do Teatro Leopoldina, na Av. Independência, foi alvo de pichações contra a imoralidade e a pornografia mostradas na peça


Fachada do Teatro Leopoldina, em Porto Alegre, atacado pelo 3º exército

O CORO DE RODA VIVA FOI ACOLHIDO PELO TEATRO OFICINA NA MONTAGEM DE GALILEU GALILEI, MAS FOI PROIBIDO DE SEQUER OLHAR PARA O PÚBLICO.

COM O AI 5 VEIO A TORTURA Y OS GRANDES CORIFEUS DOS COROS COMO O SAMUKA,O HENRICÃO, Q NÃO PARTICIPOU DE R.V., MAS CORIFEOU NO “GRACIAS SEÑOR”,  TODOS ATORES Q PARTICIPARAM COM TALENTO NESTE PROCESSO Q “RODA VIVA” INSPIROU SE DESTRUÍRAM, POIS A CENSURA NÃO PERMITIU Q ATUASSEM NO TEATRO DE COROS REVOLUCIONÁRIOS.

HOJE PERCEBI O Q JÁ TINHA PERCEBIDO, MAS NÃO COM A CLAREZA Q BAIXOU EM MIM .

SAQUEI Q “O REI DA VELA” Y “RODA VIVA” SÃO A MESMA PEÇA.

A 1ª AINDA SEM  CORO Y RODA VIVA COMO O CORO DE REI DA VELA.

Y ME RETORNOU UM DESEJO ENORME DE REMONTAR A PEÇA NO TEATRO OFICINA, COMEÇANDO A ENSAIAR LOGO DEPOIS DA ESTRÉIA DE “O REI DA VELA”

ESTOU, ESTAMOS VIVENDO NO OFICINA UM MOMENTO MUITO GRAVE: POR 37 ANOS CONSEGUIMOS Q NÃO SE CONSTRUÍSSE NADA NO ENTORNO DO TEATRO OFICINA.

DEPOIS DO GOLPE DO ANO PASSADO, SILVIO SANTOS PIROU Y ENTROU COM UMA AÇÃO NO CONDEPHAAT NOS ACUSANDO DE TERMOS DESTRUÍDO O TEATRO OFICINA, ONDE ESTREOU O REI DA VELA, Q TINHA SIDO TOMBADO COMO TOMBAMENTO HISTÓRICO PRA CONSTRUIR UM TEATRO ILEGAL.

POIS LINA BARDI, NESTE SEU CANTO DE CISNE, ABRIU UM JANELÃO ENORME DE VIDRO, Q DÁ PRO MINHOCÃO, EVOCANDO SUA PRIMEIRA OBRA: A CASA DE VIDRO NO PICO DE UM  MORRO FLORESTA, VOLTADO AOS 4 CANTOS, COM UMA ÁRVORE NO MEIO.

PLANTOU UMA ÁRVORE Q HOJE JÁ TEM 24 ANOS, CRESCEU MUITO, VAROU O JANELÃO Y FOI DAR SUA SOMBRA NO TERRENO TOMBADO DE NOSSO ENTORNO

POR TODOS OS ÓRGÃOS DE PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO: ESTADUAL, MUNICIPAL, IPHAN.

EM 2015 FOI CONSIDERADO PELO CRÍTICO DE ARQUITETURA DO “THE GUARDIAN”, ENTRE OS 10 MELHORES TEATROS DO MUNDO, O MELHOR Y MAIS INTENSO.

O GRUPO SS DÁ UMA DE ESTADO ISLÂMICO Y QUER DESTRUIR ESTA OBRA PRIMA

Y MAIS, QUER NOS EXPULSAR, NÓS ARTISTAS, ATRIZES, ATORES, TÉCNICOS, FUNCIONÁRIOS Q CULTIVAMOS AS TERRAS DA RUA JACEGUAY 520 HÁ 56 ANOS.

ISSO PODE ACONTECER NO DIA 23, PRÓXIMA 2ª FEIRA, NO DIA SEGUINTE DA ESTRÉIA DE “O REI DA VELA”

T CONTO ISSO CHICO, POR Q STAMOS, STOU COM UMA SENSIBILIDADE AGUÇADA SOBRE A IMPLANTAÇÃO PROGRESSIVA Y RÁPIDA DO NAZISMO NO BRASIL.

NÃO É PARANOIA. FERNANDA MONTENEGRO, VOCÊ DEVE TER VISTO, FEZ UM DEPOIMENTO EMOCIONADO Y DELICADÍSSIMO Y DURO, CHORANDO, PERCEBENDO COMO UMA XAMÃ A NECESSIDADE DE

DESACOVARDAMENTO DOS RAROS  TALENTOS POLÍTICOS Q AINDA RESTAM

Y AINDA COMO UMA BRUXA PITONISA
PREVIU Q SE NÃO ACONTECER ISTO,  OS COVARDES VÃO PERDER A PRÓPRIA PELE.

O TEXTO FALADO D’ÉLA, REVELA Q ESSE DESACOVARDAMNTO SE

REFERE À NÓS TODOS.

ONTEM ELA ANIVERSARIOU Y EU DEDIQUEI MEU TRABALHO DA NOVA ENCENAÇÃO DO “REI DA VELA” À ELA.

PASSEI A ACREDITAR NUM MOVIMENTO CULTURAL CONCRETO DE NÓS TODOS ARTISTAS q CAPTAMOS O INCONSCIENTE DO POVO BRASILEIRO, NÓS MESMOS. OS ARTISTAS DO ANDAR  DE BAIXO PODEMOS COM O Q RESTAM DOS ARTISTAS COMO VOCÊ, Q NÃO SE RENDERAM, DEVEMOS NOS JUNTAR NESTE MOMENTO FORA DOS ISMOS;

PRINCIPALMENTE COM OS BURÚS, OS ÍNDIOS, AMEAÇADOS EM TODA A AMÉRICA EM SEUS TERRITÓRIOS,
Q SAGRAM A TERRA Q HABITAM.

DAÍ BROTOU EM MIM O DESEJO

DE OCUPAR O TEATRO OFICINA AMEAÇADO COM A MONTAGEM IMEDIATA DA SUA “RODA VIVA” –

O MAIOR TABU DA HISTÓRIA DO TEATRO BRASILEIRO LIBERTÁRIO.

TUDO ISSO ME FAZ SENTIR DENTRO DO “TERROR Y MISÉRIAS DO 3º REICH” DE BRECHT.

MAS ME INSPIRA À REVIRAR A SITUAÇÃO

Zé Celso

RODA VIVA COMPLETA A ENCENAÇÃO DE “O REI DA VELA”, COMO EM 68,

LIBERTE ESSA SUA OBRA PRIMA.
O MOMENTO HISTÓRICO DE HOJE CLAMA PELA PEÇA MAIS MACHUCADA Y AO MESMO TEMPO VITORIOSA DO TEATRO BRASILEIRO DE EXPORTAÇÃO

  

O Brasil tem um vêio de

referências cultural e existencial
pelo qual o rumo a seguir nos é
conscientizado: Gregório de Mattos,
Villa Lobos, Oswald de Andrade,
Nelson Rodrigues, Glaber Rocha.
Nessa linhagem está Zé Celso.
O que os liga? Um clamor, um
convocar, um convulsionar, um
amar. E mais que amar: proclamar.
Esse agir vem de uma alucinada
herança ibérica, barroca, mítica,
onde, no sagrado e no profano, nós

nos perdemos, nos achamos. E nos
salvamos.
O Zé pertence a essa
temperatura, a essa pulsação. Um ser
extremamente energizado,
fustigante, ardido de tanta lucidez,
onde a paz do conformismo, em
pânico passa ao largo. O Zé tem,
com relação ao Brasil, uma
obstinação cultural, existêncial de
lobo faminto. É um ermitão que não
prega no deserto. Aliás, onde o Zé
prega não há deserto. Acompanho
suas declarações, suas fotos, leio
suas entrevistas, admiro suas barbas,
seu cajado, seus olhos de vidente. O
Zé é um transformador.
A partir do Bexiga e do
Oficina (esses espaços, no meu
entender, são um só) o Zé se

espraiou por muitas zonas e muitas
gerações. A partir desse Bexiga,
dessa Oficina, o Zé nos traz o
desassossego mais provocador, mais
tronitoante, mais triunfante de São
Paulo e do Brasil culturalmente
falando. O Oficina dá ao Bexiga a
dimensão da inquietação da Arte na
vida e projeta esse bairro à altura da
Cidade de São Paulo e do País. O
Oficina é um marco histórico,
cultural, visceral de uma Cidade, de
um Estado.
O que pretendem por no
lugar? A desgraça do nada? A lama
do nada?
“Das profundezas clamamos
por vós Senhor. Senhor, ouvi as
nossas vozes. Se observardes as

iniquidades, Senhor, quem
subsistirá? ”

Fernanda Montenegro

Amada muito Amada Atriz 
Fernanda Montenegro
 
estou muito emocionado com seu  seu email corajoso, dando muita força á  minha pessoa, ás pessoas com quem  trabalho y crio; á Arquitetura Urbana do Teatro Oficina Terreiro Eletrônico de Lina Bardi y Edson Elito; ao Bairro Popular do Bixíga onde como em Vila Isabel, dá Samba y Teatro.
 
Estamos vivendo o instante em q o Grupo SS ameaça de extinção á Nós do Oficina y ao Bixíga, através da ação movida por seu “Jurídico” : seu Advogado q inventou uma Ficção em Juridiquê$, movido á Ódio q será  julgada dia 23 de Outubro  pelos Conselheiros do Condephaat .
 
Suas palavras Fernanda,me abraçaram, como a  transmissão afetíva desta palavra q você pos em circulação :”desacovardamento” .
 
Vou te contar :tenho feito um esforço enorme, mas em vão, nas inúmeras entrevistas q tenho dado sobre a Re-Estréia de  “O Rei da Vela”, pra q esta ação Nazista q ameaça a destruição do Teatro Oficina venha ao conhecimento Publico y não se concretize dia 23.
A surdez ensurdecedora sobre o assunto demonstra como um Teorema q não somente Políticos, mas Jornalistas amígos também precisam se posicionar, diante de sua palabra cchave pra desvoduzação deste momento Facista: de seu próprio DESACOVARDAMENTO.
 
Você Fernanda, com sua Carta desta tarde de 14 d Outubro,libertou meu corpo animado de todo sofrimento de estar impedido de comunicar ao meu mundo mais proximo y ao Mundo do Tudão, o q não quero q aconteça na Audiência do dia 23 no Condephaat. 
 
Sua Paixão de Teatro, com sua Oração final , me  fez  Ressucitar  ao me confirmar  q não estamos sós,q estamos vendo, lutando juntos, diante das ameaças cada vez mais violentas do Terror y das Misérias  da $erpente Na$Zista saída do Ôvo no Bra$il de Hoje.
Cada dia conta séculos, até dia 23 no Condephaat.
Tudo vôa …
Mas esta Tua Carta, nosso clamor pela Cultura da Liberdade, q é o da Arte que sabemos fazer,
virá à tona até o dia D: no dia seguinte da Re-Estreia de O Rei da Vela: dias 21 y 23 (67 anos da Ethernidade de Oswald de Andrade).
 
Desde já conto com sua Presença no Sesc Pinheiro y de muitos Artistas q estão lutando pela Arte de Vivermos Livres dessa onda de lata de conserva podre.
 
Zé Celso 
 
Exú, Senhor das Artes Cênicas
Laroiê
O Brasil tem um vêio de

referências cultural e existencial
pelo qual o rumo a seguir nos é
conscientizado: Gregório de Mattos,
Villa Lobos, Oswald de Andrade,
Nelson Rodrigues, Glaber Rocha.
Nessa linhagem está Zé Celso.
O que os liga? Um clamor, um
convocar, um convulsionar, um
amar. E mais que amar: proclamar.
Esse agir vem de uma alucinada
herança ibérica, barroca, mítica,
onde, no sagrado e no profano, nós

nos perdemos, nos achamos. E nos
salvamos.
O Zé pertence a essa
temperatura, a essa pulsação. Um ser
extremamente energizado,
fustigante, ardido de tanta lucidez,
onde a paz do conformismo, em
pânico passa ao largo. O Zé tem,
com relação ao Brasil, uma
obstinação cultural, existêncial de
lobo faminto. É um ermitão que não
prega no deserto. Aliás, onde o Zé
prega não há deserto. Acompanho
suas declarações, suas fotos, leio
suas entrevistas, admiro suas barbas,
seu cajado, seus olhos de vidente. O
Zé é um transformador.
A partir do Bexiga e do
Oficina (esses espaços, no meu
entender, são um só) o Zé se

espraiou por muitas zonas e muitas
gerações. A partir desse Bexiga,
dessa Oficina, o Zé nos traz o
desassossego mais provocador, mais
tronitoante, mais triunfante de São
Paulo e do Brasil culturalmente
falando. O Oficina dá ao Bexiga a
dimensão da inquietação da Arte na
vida e projeta esse bairro à altura da
Cidade de São Paulo e do País. O
Oficina é um marco histórico,
cultural, visceral de uma Cidade, de
um Estado.
O que pretendem por no
lugar? A desgraça do nada? A lama
do nada?
“Das profundezas clamamos
por vós Senhor. Senhor, ouvi as
nossas vozes. Se observardes as

iniquidades, Senhor, quem
subsistirá? ”

Fernanda Montenegro

Muito Amada Fernanda Montenegro

 
sentí 
y milhões de pessoas também,
sua phala sentída,
vinda de seu corpo feito de Atriz Rainha
do lugar deste ser: o mais enjeitado q nunca Teatro Brasileiro
sua delicada potência de Atriz d Teatro
captou o “Terror y Misérias” deste Novo Reich 
q já saiu do “Ovo da Serpente” 
agora
transformando o Brazeiro Brasíl
in BRA$ZIL

 

mas ao mesmo tempo esta tua fala
dá Início,
tenho a certeza,
ao desacovardamento de todo povo
q tem sído massacrado
pela $anta Porrada de cada día
vinda de címa da Pirâmide 
mas q depois d sua novíssima Cena
já está voltando a querer
a grandeza majestosa do  poder do teatro
brotou água viva em suas palavras xamânicas
simples , versos de cura da doença do acovardamento
 
estou sentindo o mesmo q você:
o Grupo $ilvio $antos 
fez juz ao nome SS
na Ultima Audiência no
Conselho do Patrimônio Histórico Arqueológico Artístico e Turístico, o CONDEPHAAT 
o Advogado do SS
há duas semanas atrás
nos golpeou com um  putch nazista:
acusou-nos a termos nós: artistas, técnicos, funcionários 
de termos destruído o 2º Teatro Oficina Tombado por sua História
e construido o projeto Ilegal da “Arquiteto” Lina Bardi, depois completado pelo Arquiteto Edson Elito
 
Foi o maravilhoso Canto de Cisne  de Lina:
a sua 1ª Criação foi sua Casa de Vidro, voltada aos 4 Cantos
no alto do Morumbi, cercada por uma Floresta y penetrada por uma Árvore.
Nesta Última Obra Prima: o Teatro Oficina Terreiro Elektrônico, criou um Janelão Enorme de Vidro dando pro Minhocão y plantou com suas mãos uma Árvore que cresceu tanto nos últimos 27 anos q foi dar sua Sombra no Terreno do Entorno Tombado do Teatro Oficina, de Propriedade de Silvio Santos.
O Tombamento foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 1983
y foi realizado pelo pianista João Carlos Martins,
então Secretário de Cultura,
tendo na Presidência do órgão o Geógrafo Aziz ab’Saber
y por Conselheiro o grande artista Flavio Império,
autor do 2º Oficina,
inaugurado com “O Rei da Vela”, há 50 anos.
 
Depois o Teatro Oficina foi Desapropriado pelo Governador Franco Montoro.
Ambas medidas : Tombamento y Desapropiação,
nos seus Laudos, focam a defesa do Teatro Oficina
determinado sua proteção contra as investídas do Grupo SS.
 
Durante 37 anos, por lutas do Público, do Povo,
o Grupo SS não conseguiu construir nada em seu Vazio.
Agora neste momento nazista, Silvio Santos entrou numa Paranóia Terrível,
estive com ele numa Reunião na sede do SBT no Anhanguera
em q o Santo  Eduardo Suplicy ,atualmente Vereador, conseguiu a q se realizasse com presença das  Arquitetas do Entorno do Teatro Oficina, de minha pessoa y do Prefeito Dória.
Este propôs q as Arquitetas Marilia y Carila, se reunissem com o Arquiteto do Grupo SS.
Silvio Santos mudou muito, não ouviu nada.
Era monocórdio y só dizía pra mim 
-“deixa de ser artista, deixa de ser sonhador,você acha q eu vou dar esse terreno pra você?” 
Eu replicava-“não é pra mim, estou com 80 anos, é uma Causa Pública.
Você é mais velho q eu .Nós vamos morrer lógo.”
Silvio Santos- Eu não vou morrer Nunca!
 
Paro por aquí, mas envio a defesa maravilhosa q as Arquitetas Escreveram , q está sendo examinada pelo Relator do Condephaat pra dia 23 numa reunião decisiva pra minha vida,
a das pessoas q criam nestas terras y sinto q pra nós q amamos Teatro, y pro movimento de Liberdade da Cultura inspirando a Educação q pode nos livrar deste momento mais q corrupto:
Nazista y Emburrecedor.
Fernanda, estamos juntos como nunca, nesta peça
de transformar , virar do avesso esse Bra$ZilInsuportável.
Zé Celso 
“Exú das Artes Cênicas”
 
Honraría q mais adoro, concedido por Mãe Stella da Bahia
q com 80 anos assistiu de pé , por uma Semana, no Teatro Oficina, as 5 peças de “Os Sertões” de Euclides da Cunha.
Nossa religião é o Teatro, mas ambos fomos muito inspirados pelo Candomblé
 
Laroiê

Abrimos a PrimaVéra
hoje Sabado 23
Domingo 24
ás 16 h com os 2 Ultimos Ritos-Espetáculos de Teatro Total Musical de Revista da “MACUMBA ANTROPÓFAGA 2017

Estreamos esta peça no dia 24 de Junho,
no Sosltício de Inverno, Natal,
Ano Novo no Hemisfério Sul,
comemorando o Aniversário de 67 anos de Nascimento de Luis Antônio Martinez Corrêa: Artista Diretor y Ator Criador da Companhía de Teatro Pão y Circo, q estreou num laboratório minúsculo de Fotografía no Porão do Oficina dirigindo “Cypriano y Chantalã”, Musical de sua Autoría com uma Ana : Ana Lú Prestes y mais 3 Anas, nossas sobrinhas Ana Flóra, Ana Lúcia y Ana Helena.
O sucesso foi tal q foi ocupando todo o Porão do Oficina com a Comédia de Pastelão Musical de Bertolt Brecht “O CASAMENTO DO PEQUENO BURGUÊS”; apinhado de gente se espremendo pra ver; conquistando o Palco Principal do Teatro Oficina de 2 Platéias do Arquiteto Joaquim Guedes y dai pro Brasil y pro Mundo.

                                                                                                                                                                Quis dedicar a Macumba Antropófaga ao Nascimento de Luis dia 24 d junho de 1950, Resultado de imagem para luis antonio martinez correiafazendo o papel de Luis, cantando “RESSUCITO-ME”, no 3º Ato, inspirado na Versão da musica “AMOR” da peça O PERCEVEJO de Maiakowiski, em que Luis dirigiu y atuou em Criação Coletiva com o seu Elenco y q foi musicada y cantada por Caetano Veloso.

A Macumba celebrou pela 1ª vez o Nascimento de Luis , depois de termos celebrado 29 anos d sua Ehernidade no Terreiro Eletrônico do Teatro Oficina , nos dias 23 de dezembro , Natal, sempre as 14:30 , hora de seu assassinato em 1987 com 107 Facadas .

O Mistério do numero de facadas das duas pessoas q tentaram assinar o q tinham em sí mesmo no corpo do Bode Expistório Luis ,me intriga até hoje.
Foi um Crime Homofóbico com Latrocínio de somente um VHS, onde paradoxalmente estava o Filme “Lulu” de Widekind, Obra Prima do diretor Pabst y da atriz Louse Brooks q vive y é assassinada por Jack Estripador no Natal , personagem de nome Lulu, como Luis.

Peça q Luis estava fazendo com Fernandinha Torres.
A Coincidência desta peça tratar do assassinato de Lulú também no Natal, somado à Violência do Exterminio de um Jovem Extraodinário Poeta, como vinha acontecendo em uma série de outros Crimes Homofóbicos no Brasil, em q as Famílias escondiam da sociedade; sobretudo o fato deste cruel abcessso ter sido aberto, escancarado, em Praça Pública, por minha Família, minha Pessoa , pelos Artistas do Rio de Teatro, Cinema, Musica, TV q amavam muito Luis; provocou um movimento liderados pelos jovens diretores de Teatro , colegas talentosos de Luis y criou o movimento “LUIS NA CIDADE”, com pronuncia do nome LUIS em carioca q dá LUIZX.

A Comoção foi tão grande com seu Velório no Natal, no Teatro Laura Alvim na Praia do Ipanema, onde estava em Cartaz seu “MUSICAL nº 2 “; y também em sua Missa de 7º Dia Realizada na Praça Nossa Senhora da Paz com uma Multidão de Artistas y
Povo, participando, atuando como Grande Othelo q recebeu das mãos da
diretora Bia Lessa uma Caixa de Presentes de Natal com uma FACA, q passou pra mim ,q rasguei minha camisa com Ela y me atirei do Palanque da Missa nos braços das pessoas;

tudo isso revelou uma SAÍDA DE ARMÁRIO HISTÓRICA TRÁGICA mas EFICAZ no BRASIL y NO MUNDO.

Por isso neste ano de 2017 , dia 23 de dezembro ás 14:30 , estaremos celebrando os 30 anos de Ethernidade de Luis, com uma das Peças Criadas por Êle mesmo.
Neste Sentído, y em muitos outros a VITÓRIA DE 3 Mêses em Cartaz de “MACUMBA ANTROPÓFAGA 2017” , q foi recriada inspirada nos dias TragiCômicos do Brasil Golpeado diariamente Hoje;

mesmo com o corte de Patrocínio de mais de 10 anos da Petrobras, com a omissão explicita da Midiona Censuradora , dos Jornalões q sempre apoiaram o Teatro y mesmo o Teatro Oficina y q fez com q nenhum Crítico a Comentasse. Um Fenômeno revelador dos Tempos q Estamos vivendo.

NESTES ÚLTIMOS DIAS, A POSSIBILIDADE MAIS Q DEMOCRÁTICA,
TRANS HUMANA

ESTÁ ABERTA
PARA Q ESSES PROFISSIONAIS DE
TEATRO VENHAM VER COM O GRANDE
PÚBLICO , ESTA NOVÍSSIMA
RECRIAÇÃO POÉTICA, PLUGADA
TOTALMENTE NESTE ANO DE TANTA
ESTUPIDEZ Y REALIZADA COM
ESBANJAMENTO DE BELEZA , HUMOR Y
ALEGRÍA.

A Macumba Antropófaga em seus
Últimos Dias, nos Primeiros dias da
PRIMAVERA deste ano, tem um Grande Significado .
É a replica apaixonada pra antropofagiar esta CA$TA VIOLENTA DE ESTUPRADORES A$$A$$INO$, Q USURPAM O PODER DO BRASÍL: UM BANDO DE BOÇAIS IGNORANTES Q SI TEM DENTRO DE SÍ O $IFRÃO
$$$$$$$$$,Q ESTÃO VENDENDO ATÉ A UZYNA ATÔMICA DE ANGRA DOS REIS PRA A RU$$IA IMPERIALI$TA DE PUTIN, IGNORANDO AS CONSEQUÊNCIAS DESTE ATO NA
GUERRA MUNDIAL Q AMEAÇA A ACONTECER, ALIMENTADA PELOS ÓDIOS, SNOBANDO TUDO Q CRIA MAIS VÍDA.

Os GUARANÍS POBRES MAS TECNIZADOS Q OCUPARAM O PICO DO JARAGUÁ ,VÃO ESTAR PRESENTES NA SESSÃO DE HOJE NO OFICINA.

 

NÓS , TRIBO JACEGUAY 520 = NOME DA RUA EM TUPY = “A Q COME CABEÇA”,

Q SAGRAMOS AS TERRAS TOMBADAS DO TEATRO OFICINA E SEU ENTORNO COM NOSSO CULTIVO ATRAVÉS DE NOSSOS RITOS D CULTURAS TEATRAIS ESTAMOS MAIS UMA VEZ AMEAÇADOS PELOS INTERE$$E$ DOS Q QUEREM ELEGER-SE PRA DAR CONTINUIDADE Á ESSA MESMA FORMA DE GOVERNO DE CLUBE D BOLINHA APOIANDO-$E ENTRE $Í, SACRIFICANDO O POVO TODO Y TAMEM O DO BAIRRO DO BIXIGA, UMBIGO CULTURAL DE SAMPÃ Y O TEATRO OFICÍNA JUNTO.

MAS SOMOS A LUTA MUNDIAL DE APAIXONADOS PELA A VIDA DA TERRA, NA TERRA. NÓS, Q NOS RECONHECEMOS BICHOS HUMANOS DA NATUREZA Y DE SEU CULTIVO, FRÁGEIS, RIDÍCULOS, COM NOSSA ARTE DE PALHAÇOS SONHADORES Y ARTISTAS APOSTANDO SEMPRE Q A ANTROPOFAGÍA NOS UNE , NOS ALIMENTA Y NOS INPIRA ESTAMOS AÍ.
Nossa força vem de nossa fragilidade apaixonada y pode ser vivida nesta PRIMAVERA Q DESESPERA NA $ECA EM FLOR , COMO CANTA O POETA WISNIK.

NO ANHANGABAÚ FA FELIZ CIDADE.

HUMOR AMOR Y MUITO MAIS
ÉTHERNAMENTE
PARAISO, O6:12
MERDA

Abrindo um Abcesso Fechado na Praça Pública

Antecedentes de uma BOMBA Q TENHO Q DESPACHAR NA PRAÇA PÚBLICA.

-Dia 16 d Ah!gósto, comemoramos 56º anos de vída do Teatro Oficína  com o Filme “O Rei da Vela” nos Projetores, voltados pra 5 Telas deste Terreiro Elektrônico, numa  Sessão Pública.

Estavam presentes os Artistas da “Macumba Antropófaga” y os q ensaiam agora a peça ”O Rei da Vela 2017”.

Aconteceu o milagre da Arte do Cinema ao Vivo.

A Projeção do filme somou-se a dos corpos presentes, os seres humanos q viram y ouviram.
Principalmente as Energías das Atrizes y Atores q vão fazer a peça “O Rei da Vela”, y dos q estão na “Macumba Antropóga” em Cartaz nos Fins de Semana no Teatro Oficina, criaram a Sessão, das muitas q assistí: a mais Béla!

Dia seguinte: 17

Prólogo

Meu Adorado Amigo Eduardo Suplicy,

como Vereador da Cidade, entregou uma Carta q fiz, Oficial, ao Prefeito Dória, onde o convidava a ser o Negociador da Troca do Terreno do Entorno Tombado do Teatro Oficina com o Grupo Silvio Santos.

Dória foi 1º conhecer o Oficina y seu Entorno.

– Na Bienal de Arquitetura de 2013, Arquitetos Internacionais Corifeados pelas duas “Arquitetos” do OficinaUzynaUzona: Marília Piraju y Carila Matzenbacher, em um trabalho de campo no entorno do Teatro Oficina, de propriedade de Silvio Santos, mas Tombado pelo Iphan, Condephaat, Compresp, criaram a Tenda Circo Teatro de Estádio dando prum Corredor Cultural pra Cidade; da Vila Itororó ao Parque da Cidade. Este Corredor foi Inspirado num Alléia Verde q dá flores, frutos, legumes: um Corredor inclinado q vem da Rua Santo Amaro até o Coração do Entorno do Oficina.

Nós chamávamos esta beleza de “Oficina de Florestas”: desce da Santo Amaro até o Coração do Terreiro da Praça Pública da Paixão.

Ela vinha sendo até cuidada pelo Grupo SS. Essa maravilha deixada pelo Grupo SS hoje encontra-se devastada por ordem, como diz Guilherme Stoliar, pelo “Jurídico” do Grupo. ?!

O Prefeito João Dória marcou uma reunião para do dia 17 na Séde da SBT – entre:

Silvio Santos y seu staff,

O Prefeito João Dória y sua Equipe de Governo na Área de Cultura, Urbanismo y Comunicação

y Nós do Teatro Oficina Uzyna Uzona.

Nesta Reunião Silvio Santos não era mais a Personagem q nos propunha a Tróca de seus Terrenos, mas talvez pressionado pela Cri$e Imposta no Brasíl, seu comportamento era  monotemático y repetia  

SILVIO SANTOS

-o q é q vocês vão fazer lá?

-deixa de ser sonhador y artistas,

você acha q eu vou dar o terreno pra você? Etc….

As Arquitetos tentaram mostrar o q queremos pro Terreno com Plantas, Desenhos etc… mas o Silvio y seu Grupo recusaram-se a ver ou ouvir nossa parte. Y debochavam muito de Túdo!

O Prefeito João Dória fez uma proposta de ficarmos com uma Parte do Terreno onde está o Janelão do Teatro Oficina q Lina Bardi nesta última obra sua, fez como sua 1ª,  a Casa de Vídro, y ela mesma plantou uma Árvore q hoje atravessou o Muro onde está o Vidro y foi dar sua sombra no Terreno de propriedade de Silvio Santos.

No entedimento das Arquitetos, o Prefeito João Dória propôs a criação d’um Grupo de trabalho entre os Arquitetos Urbanos do Teatro Oficina, a responsável na Prefeitura pela Secretaria Municipal de Urbanismo y licenciamento, y o GRUPO SS.

Nas Palavras do Arquiteto Carila Matzenbacher,  

Dória ontem se comprometeu a incorporar o baixo do viaduto Júlio de Mesquita, como parte deste projeto acordado ontem entre a prefeitura, o grupo Silvio Santos e o Teatro Oficina – o de criar uma área pública com programa cultural, contracenando com um empreendimento comercial no terreno entorno ao teatro.

Carila sente como “importante reafirmar que o projeto agora vai ser feito com as três partes envolvidas – Grupo Silvio Santos, Teatro Oficina, secretária de Urbanismo e Licenciamento Heloísa Proença e secretário da Cultura André Sturm.

-Uma reunião foi marcada em outubro para uma primeira apresentação desta proposta.Considerando os baixos como área a ser incorporada ao projeto maior do Anhangabaú da Feliz Cidade, e por isso revendo o projeto de privatização desta área, que está inserida no projeto de desestatização das áreas públicas de sampã.

Nas Fotos Posteriores aos acontecimentos, Silvio Santos estava menos ansioso, até afetivo. Chamou uma Van da SBT pra nos levar pros lugares onde tínhamos compromisso d Ensaios y trabalhos de produção de “O Rei da Véla”.

Mas hoje, dia 18 acontece a seguinte

Cena ao Telefone.

Silvio Santos (me liga y ao telefone me diz)

Eu andei pensando, e tíve uma Idéia

Eu te dou 5 milhõe$  y você desiste…

assim você vai poder divulgar “O Rei da Véla”

Zé Celso-( pasmo)Não.

-Eu apreendí muito nesta Contracenação de 37 anos com Silvio Santos, com Tréguas Maravilhósas,

como a q acontecída pós o Tombamento do Teatro Oficina pelo Iphan em 2010.

Será q Silvio não apreendeu nada, depois de 37 anos?

Fiquei deprimido com isso dentro de mim, por q eu acabei por me afeiçoar a pessoa humana d’Êle.

Sinto q Silvio pode ainda apreender a saber o mínimo sobre minha Pessoa de Artista Sonhador.

Como Bicho Humano de Teatro eu Ator, Diretor, Músico,Cantor, Poeta Artista, Cosmo Poético Político estou fazendo nestas palavras minha Catarse.

Não quero guardar pra mim este choque q recebí. Esta tentativa de me subornar não pertence nem mais a mim nem ao Silvio, é uma Cêna Epifânica em q tenho q por a Boca no Mundo dos Terráqueos.

Canto este meu Bóde, q me inspira muito na criação do q estou fazendo

Y de Todo Coração espero q Silvio Santos volte atrás

Zé Celso

Exú das Artes Cênicas

Artista, Sonhador Concretizador de meus Sonhos além das Paredes do Melhor y mais Intenso Teatro do Mundo : O Oficina

SamPã 18 d Ah!Gósto d 2017